[bsa_pro_ad_space id=3 delay=8]

Suspeito é detido após ataque em conta de primeira-dama na rede social X

PF cumpre mandado de busca e apreensão contra suspeito de 17 anos que informou ser o autor da invasão do perfil de Janja Lula da Silva. Autoridades seguem apurando o caso

Compartilhar:

Os agentes da Polícia Federal realizaram o cumprimento do mandado de busca e apreensão do suspeito de ter invadido a conta da primeira-dama, Janja Lula da Silva, na plataforma X, antigo Twitter. A PF continua com a investigação do caso.

Segundo a apuração da GloboNews e G1, o alvo do mandado é de um adolescente de 17 anos, morador do Distrito Federal, que confessou, informalmente, ter realizado o crime. O depoimento do suspeito só será considerado legalmente válido se for reiterado durante a audiência. A princípio, ele presta depoimento apenas como fonte de informações.

Na noite da última segunda-feira (11), o perfil da primeira-dama na rede social X sofreu uma invasão cibernética. Postagens foram feitas com ofensas e xingamentos contra ela e ao presidente Lula.

A primeira-dama usou as redes sociais para publicar uma nota sobre o ataque cibernético sofrido e reforça que a internet é um espaço potente para o bem e para o mal.

A Security Report disponibiliza na íntegra a nota de Janja disponibilizada um dia após a invasão:


“Na noite de ontem, os ataques de ódio e o desrespeito que eu sofro diariamente chegaram a outro patamar. Minha conta do X foi hackeada e, por minutos intermináveis, foram publicadas mensagens misóginas e violentas contra mim. Posts machistas e criminosos, típicos de quem despreza as mulheres, a convivência em sociedade, a democracia e a lei.


Eu já estou acostumada com ataques na internet, por mais triste que seja se acostumar com algo tão absurdo. Mas a realidade é que a internet é um espaço potente para o bem e para o mal. E é comprovado que nós, mulheres, somos as que mais sofrem com os ataques de ódio aqui nas redes. O que eu sofri ontem é o que muitas mulheres sofrem diariamente.


Mulheres no Brasil inteiro são vítimas de ataques machistas, que tomam conta das redes sociais e muitas vezes saem dela, acabando em agressões físicas e feminicídios. Milhares de mulheres perdem ou até tiram a própria vida a partir de ataques como o que sofri na noite de ontem.


A Polícia Federal e a plataforma X foram acionados imediatamente e estão tomando as devidas providências. O ódio, a intolerância e a misoginia precisam ser combatidos e, os responsáveis, punidos.


Agradeço todas as manifestações de solidariedade e apoio que tenho recebido desde então. Eu sei, e é sempre bom relembrar, que não estamos sozinhas”.


*Com informações do G1

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

Instituição cooperada do Sicoob sofre ataque hacker

A informação começou a circular nesta segunda-feira, após uma série de posts na rede social X acusarem o suposto vazamento...
Security Report | Destaques

Apostar em diversidade é uma resposta para o gap de talentos em Cyber?

A AWS organizou, durante os painéis do re:Inforce 2024, um painel de debates com nove líderes mulheres de Cibersegurança ativas...
Security Report | Destaques

ALLOS eleva maturidade em Segurança Cibernética com jornada tecnológica

Em parceria com a NetSecurity, a administradora de shoppings conseguiu integrar e automatizar processos, proporcionando uma resposta eficaz a incidentes...
Security Report | Destaques

Eneva aposta em assessment para construir uma infraestrutura de segurança resiliente

Em parceria com a Cisco, a empresa decidiu priorizar uma abordagem personalizada para construir uma infraestrutura sólida e robusta. Case...