Pesquisa revela que 77% dos CIOs e CISOs estão modernizando suas aplicações

Levantamento baseado em entrevistas com 1500 CIOs e CISOs do mundo inteiro, incluindo o Brasil e a América Latina, revela que 77% desse universo estão modernizando suas aplicações e que 76% já implementam sistemas críticos na borda da rede

Compartilhar:

A F5 anunciou hoje a disponibilidade do relatório 2021 State of Application Strategy. O relatório é baseado em mais de 1.500 entrevistas com CIOs e CISOs de todo o mundo, incluindo o Brasil e a América Latina. Os líderes das áreas de TI e Segurança apontaram prioridades, preocupações e expectativas para enfrentar grandes desafios da economia digital. A análise de suas respostas mostra as reais estratégias das empresas para garantir a segurança e a performance de suas aplicações de negócios.

 

Em 2020, as empresas aceleraram suas jornadas de transformação digital. Com a crise da COVID-19 e as interações presenciais limitadas, as aplicações — e as experiências digitais oferecidas por elas — se tornaram sinônimo da presença e prosperidade das organizações.

 

“A edição deste ano do relatório F5 destaca as muitas e diferentes prioridades enfrentadas pelas equipes de TI. As empresas estão dependendo mais da automação para reduzir custos operacionais e, ao mesmo tempo, customizar aplicações de modo a oferecer excelentes experiências digitais aos clientes”, disse Kara Sprague, Vice-presidente Executiva e Gerente Geral de BIG-IP da F5.

 

77% estão modernizando suas aplicações neste exato momento

 

Segundo a pesquisa, 87% das organizações operam arquiteturas modernas e, também, tradicionais (aplicações legacy). Para os entrevistados, a modernização é necessária quando sistemas legados são demasiadamente rígidos para adaptar-se a condições de negócio que mudam sem cessar.

 

Mais de três quartos dos entrevistados (77%) relataram estar, no momento, modernizando aplicações internas ou voltadas ao atendimento ao cliente. Nessa jornada, as APIs são o método primário, dada sua capacidade de combinar capacidades de componentes de aplicações tradicionais e modernas. No ano anterior, somente 37% dos entrevistados afirmaram estar modernizando aplicações. A modernização é um meio natural de expandir as capacidades digitais de modo a fazer da aplicação um verdadeiro motor de crescimento de negócios.

 

76% das organizações implementaram ou estão no processo de levar aplicações para a borda da rede (Edge Computing)

 

A computação de borda (Edge Computing) se refere a operações realizadas fora de um data center centralizado. Os resultados da enquete mostram que 76% das organizações implementaram ou estão ativamente planejando implementações na borda, tendo como impulsores primários o crescente desempenho das aplicações (baixa latência) e a coleta de dados/viabilização de analytics.

 

68% hospedam na nuvem soluções de segurança e performance para aplicações

 

Com o crescimento do número de aplicações implementadas na nuvem‚ mais de dois terços dos entrevistados (68%) estão também hospedando na nuvem parte de suas soluções de segurança e performance de aplicações. Simultaneamente, as organizações estão buscando resolver a complexidade de arquitetura resultante de acrescentar soluções SaaS e edge em ambientes locais e multinuvem e, ao mesmo tempo, modernizar suas aplicações.

 

A segurança continua a ser um importante impulsor, e frequentemente os esforços para se antecipar ao próximo movimento dos criminosos digitais exigem capacidades superiores aos recursos que as organizações mantém on-premises. Em função desse contexto, soluções de segurança como serviço foram identificadas como uma grande tendência estratégica dentre os entrevistados.

 

95% acreditam ter poucos insights sobre a segurança e o desempenho das aplicações

 

Esmagadores 95% dos entrevistados acreditam estar perdendo insights referentes a desempenho, segurança e disponibilidade de suas aplicações. Isso indica o desejo de se contar com uma imagem global muito mais clara do que a fornecida pelas suas atuais soluções de monitoramento e analytics. Os profissionais ouvidos pela F5 são unânimes em citar os três principais insights perdidos: a causa raiz dos problemas com as aplicações; causas de degradação do desempenho e detalhes sobre potenciais ataques.

 

Fica claro que, em 2021, aprimorar a conectividade, reduzir a latência, assegurar segurança e aproveitar insights sobre dados são, agora, ainda mais essenciais. Mais de três quartos dos entrevistados — todos tomadores de decisões em suas respectivas organizações — consideram a entrega de aplicações e a tecnologia de segurança como críticas para atender os SLAs (80%) e, desse modo, aprimorar a experiência do cliente (79%).

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

CTIR Gov orienta governo a monitorar sistemas de proteção após Apagão Cibernético

Com a identificação do incidente que colheu a plataforma Falcon, da CrowdStrike, e da Microsoft, O órgão de Prevenção a...
Security Report | Overview

Incidentes de TI estão no topo dos riscos para a continuidade dos negócios, aponta pesquisa

1ª Pesquisa Nacional sobre Maturidade em Gestão de Crises e Continuidade de Negócios, apresentada no segundo trimestre deste ano, identifica...
Security Report | Overview

54% das empresas consideram erros humanos um vetor crítico de ciberataques

Estudo da ManageEngine revelou que ameaças externas ainda são a maioria entre os golpes realizados, mas falhas de funcionários preocupam
Security Report | Overview

Apenas 23% das senhas ativas exigem mais de um ano para serem decifradas

Levantamento da Kaspersky analisa 193 milhões de senhas na darknet e indica que 87 milhões delas poderiam ser descobertas em...