Dia do Internauta: cinco dicas para navegar na Internet com segurança

No Brasil existem 165,3 milhões de internautas; a população brasileira passa, em média, quatro dias inteiros por semana totalmente conectada

Compartilhar:

Hoje celebra-se o Dia do Internauta ou do Usuário da Internet. A data de 23 de agosto marca o aniversário de um dos maiores eventos tecnológicos da humanidade: o dia em que uma página da web foi publicada pela primeira vez em todo o mundo em 1991. A partir desse momento, a Internet continuou a crescer e mudou todos os aspectos de nossas vidas, tanto nos negócios e na economia como em nossa existência cotidiana.

 

Todos os dias, milhões de pessoas utilizam a Internet para acessar os diferentes mecanismos de busca na web e para se manterem atualizadas e informadas sobre os acontecimentos do dia a dia, para se comunicar eficazmente entre comunidades e regiões e realizar diferentes tarefas que proporcionam maior conforto e bem-estar.

 

Segundo o estudo Digital 2022, existem 165,3 milhões de usuários de internet no Brasil, dado em janeiro de 2022, o que representa 77% da população; e a análise do Kepios indica que os usuários de Internet no Brasil aumentaram 5,3 milhões (+3,3%) entre 2021 e 2022. Além disso, a partir de um levantamento da empresa NordVPN sobre os hábitos digitais, a população brasileira passa, em média, quatro dias inteiros por semana totalmente conectada, o que seria equivalente a 197 dias por ano.

 

Por essa razão e por ser uma ferramenta de uso diário, os riscos das pessoas se tornarem vítimas de um ataque cibernético via Internet são cada vez maiores. De acordo com um relatório da Check Point, o segundo trimestre de 2022 apresentou um pico histórico de ataques cibernéticos globais, os quais aumentaram 32% em comparação ao segundo trimestre de 2021.

 

Alguns dos perigos mais comuns aos quais os internautas podem estar expostos são:

 

Malware: Uma variedade de software malicioso como vírus de computador, worms, cavalos de Troia, ransomware, spyware, adware, scareware, entre outros. Pode assumir a forma de código executável, scripts, conteúdo ativo e outros softwares. O principal malware no Brasil em julho foi o Emotet, com um índice de impacto de 24,22%, seguido pelo Chaes com índice de impacto de 4,86% (este  malware ataca plataformas de e-commerce principalmente na América Latina e foi o responsável pela campanha que visava o roubo de informações de consumidores do Mercado Livre e Mercado Pago, entre outros).

 

Phishing: Uma técnica de engenharia social usada por cibercriminosos para obter de forma fraudulenta informações confidenciais de usuários para roubar sua identidade, bem como roubar  dados pessoais, de credenciais de cartões de crédito, dados bancários, entre outros. Uma das formas mais comuns de phishing é por meio da imitação de marcas conhecidas ou confiáveis para os usuários, com links de phishing colocados em e-mails nos quais vítimas desavisadas clicarão. No Brasil, 79% dos arquivos maliciosos foram entregues por e-mail nos últimos 30 dias (final de julho até meados de agosto).

 

Diante desse cenário, a Check Point Software aproveita o Dia do Internauta para reforçar a proteção dos usuários, listando cinco dicas para navegar na Internet com segurança e minimizar os riscos: 

 

1- Visitar apenas sites seguros: Muitos sites não possuem medidas de segurança, seja porque estão mal configurados (colocando em risco as informações compartilhadas) ou porque são maliciosos. Por esta razão, é fundamental tomar precauções extremas ao compartilhar dados pessoais na Internet e saber quais sites são seguros. A melhor técnica é verificar se o site segue o protocolo de segurança https, ou seja, se a URL inclui um “s” no final, pois isso significa que é um site seguro e adaptado aos padrões de proteção. Outro sinal, presente em alguns navegadores, é um cadeado verde no início do link.

 

2- Sempre instalar atualizações: Muitas vezes as pessoas pensam que a atualização de software e aplicativos não é importante. No entanto, a Check Point Software revela que esse hábito de ignorar as atualizações pode ser um risco enorme, pois os diferentes patches de proteção que o fornecedor oferece para solucionar erros de segurança detectados anteriormente não são implementados. Em outras palavras, ter a atualização de software mais recente otimizará o nível de segurança e é uma estratégia eficaz para manter dados e arquivos protegidos contra possíveis violações de segurança, ataques cibernéticos, entre outros.

 

3- Não usar o mesmo nome de usuário e senha para diferentes serviços online: Cada vez mais serviços, programas ou aplicativos podem ser usados pela Internet. Por esta razão, as mesmas credenciais de acesso são frequentemente utilizadas para simplificar e evitar problemas de esquecimento e conectividade. Porém, este é um grande erro, pois se um cibercriminoso obtiver acesso à base de usuários e senhas de qualquer um desses aplicativos, será muito fácil invadir o restante das contas. Assim, é essencial usar diferentes usuários e senhas, e não usar senhas que possam ser facilmente descobertas como data de aniversário, nome do animal de estimação, entre outras.

 

4- Baixar aplicativos apenas de lojas oficiais: Games, redes sociais, banco online, entre outros, são aplicativos móveis que estão cada vez mais disponíveis para download e isso significa que os usuários tendem a instalar um grande número desses programas em seus dispositivos móveis. É importante que o usuário se certifique de baixar um desses aplicativos a partir da loja oficial (Play Store, App Store e outras), caso contrário, o usuário poderá perder o controle sobre seus dados.

 

5- Proteger os dispositivos: Um cibercriminoso pode acessar um smartphone, tablet ou computador de várias maneiras, roubando uma quantidade incalculável de informações. Diante dessa situação, é fundamental proteger-se contra os ataques cibernéticos. Neste sentido, a Check Point Software ressalta a importância de ter um software de segurança que proteja os dispositivos e as informações.

 

“A Internet faz parte do cotidiano de todos e durante a pandemia seu uso se intensificou ainda mais. Por isso, é importante conhecer os riscos a que estamos expostos toda vez que realizamos tarefas como navegar em sites ou baixar um aplicativo, de modo que possamos nos manter protegidos com uma postura de prevenção em primeiro lugar e evitar colocar nossos dados em perigo”, reforça Fernando de Falchi, gerente de Engenharia de Segurança e Evangelista da Check Point Software Brasil.

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Dia da Internet: Phishing e data leak são duas das maiores ameaças ao usuário

Com o desenvolvimento acelerado da tecnologia, a crescente de tentativas de golpes no ambiente online também se torna uma realidade....
Security Report | Overview

Especialistas alertam para novos modelos personalizados de golpe com QR Code

Especialistas da Check Point Software identificaram novos ataques cibernéticos conhecidos por Quishing e explicam como evitar tais golpes...
Security Report | Overview

61% das empresas aumentarão investimento em Cloud Security, segundo relatório

As organizações participantes do estudo estimam que o aumento planejado dos investimentos em segurança na nuvem alcance os 37%, em...
Security Report | Overview

CTIR Gov emite recomendações de enfrentamento ao ransomware Black Basta

Em informe publicado no site oficial da organização, foram trazidas outras informações a respeito do malware, que tem mirado especificamente...