Presidente da ANPD pede por mais investimentos no Congresso Nacional

em audiência pública no Senado Federal, o presidente da Autoridade, Waldemar Gonçalves, fez um balanço dos trabalhos e solicitou a criação de novas linhas de recursos focados na proteção de dados pessoais mantidos pelo setor público

Compartilhar:

O Diretor-Presidente da ANPD, Waldemar Gonçalves, esteve na audiência pública da Comissão de Serviços e Infraestrutura do Senado fazer um balanço da atuação da autarquia nos casos recentes de vazamento de informações, apresentando o panorama atual dos trabalhos movidos pela junta Diretora da organização.

De acordo com Gonçalves, o campo da proteção de dados é dinâmico e exige constante monitoramento, análise de incidentes e, se necessário, sanção. Devido a isso, é necessário novos investimentos em favor da instituição visando fortalecer sua vigilância. O Diretor-Presidente ainda disse ser essa a única maneira de garantir a efetividade da ANPD.

“Nós amadurecemos e capacitamos o nosso pessoal. No entanto, um trabalho massivo vai exigir mais profissionais capacitados. Sabemos que poucos são os colaboradores capazes de trabalhar diretamente com dados pessoais, pois a oferta é pouca. No entanto, essa é uma carreira necessária para o Brasil”, explicou Gonçalves.

Um exemplo de trabalho único movido pela ANPD envolve a regularidade de consultas públicas à sociedade civil envolvendo os diversos temas em pauta. Segundo Gonçalves, esse tópico é agora parte essencial dos processos de normatização. “Esse grau de participação da sociedade é um diferencial da autarquia em relação ao restante do setor público brasileiro e às autoridades estrangeiras”, disse.

Guilherme Braguim, sócio da área de Privacidade e Proteção de Dados do escritório P&B Compliance, concordou com o posicionamento do Diretor-Presidente, afirmando que, em razão das dimensões continentais do Brasil é de suma importância o reforço da equipe responsável por todas as frentes de trabalho abertas pela ANPD.

A autoridade somente conseguirá realizar um trabalho efetivo e duradouro com maior robustez de servidores e financeira. Esse fortalecimento corresponde diretamente à ampliação da cultura de privacidade e de proteção de dados no Brasil, eliminando a ideia equivocada de despreocupação com o tema”, informou ele.

Já o sócio da Prado Vidigal Advogados, Luis Fernando Prado, ressalta ser igualmente importante que a autarquia passe a estabelecer processos prioritários para otimizar suas atividades enquanto não houver condições de abraçar mais demandas. Prado ressalta que insuficiência nos orçamentos é um desafio enfrentado por todas as agências reguladoras no mundo.



“Há vários temas e procedimentos já iniciados, mas nunca concluídos pela autoridade, exemplos são regulamentações que já passaram por consulta pública e ainda não foram efetivadas. Se os recursos humanos e financeiros não são suficientes, como talvez nunca sejam, a estratégia de priorizar algo já com dispêndio de recursos públicos parece ser um caminho mais assertivo”, concluiu o advogado.


Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

Órgão da ONU para desenvolvimento investiga ataque com extorsão de dados

O programa internacional de fomento alertou, em nota publicada no site oficial, para a ocorrência de um incidente contra o...
Security Report | Destaques

Ataque Cibernético derruba site de prefeitura no Piauí

Em nota divulgada por meio das redes sociais, a prefeitura do município de Pedro II informou que um incidente cibernético...
Security Report | Destaques

Cisco aposta na proteção de nuvem com novas usabilidades da IA

Durante encontro com jornalistas no Cisco Engage Brasil 2024, a empresa tratou dos próximos passos de diálogo com o setor...
Security Report | Destaques

Polícia Federal interrompe emissão de passaportes por tentativa de ciberataque

Em nota publicada hoje (18) no site oficial, a autoridade policial informa que o incidente ocorreu ainda no começo dessa...