O efeito da TI híbrida: habilidades de rede para o DBA?

Segundo Thomas LaRock, gerente técnico da SolarWinds, a facilidade do uso dos serviços de nuvem pública como Amazon AWS e Microsoft Azure criou um ambiente de TI "sem fronteiras" em que os métodos de gerenciamento de dados tradicionais não fornecem mais a visibilidade e o nível de informações necessário para atender às altas expectativas dos usuários finais

Compartilhar:

A nuvem ameaça todo mundo.

 

Bem, para ser mais claro, a nuvem ameaça todo mundo que vê a mudança como algo que se deve temer. Costumo ver a mudança como uma oportunidade, não como ameaça.

 

Para os administradores de banco de dados (DBAs) de hoje, a taxa de adoção da TI híbrida é uma preocupação. A TI híbrida representa mudança, e a maioria dos DBAs não gosta de mudanças. Eles gostam de que as coisas permaneçam iguais pelo tempo que for possível.

 

Quando vejo o medo nos olhos de um DBA ao ouvir a palavra “nuvem”, faço o melhor que posso para ir por partes para ajudá-los a digerir. Os dois pontos principais que menciono são os seguintes:

 

  1. As responsabilidades principais de um DBA moderno (ou o que podemos chamar de DBA de nuvem) — recuperação de dados, segurança de dados e desempenho do banco de dados — permanecem iguais às da administração de banco de dados tradicional. Embora a integração de serviços de nuvem e aplicativos distribuídos tenha introduzido um nível maior de complexidade e potenciais desafios, as missões centrais permanecem: eles devem ser capazes de recuperar e proteger os dados da empresa e, ao mesmo tempo, fornecer desempenho confiável.

 

  1. Ser proficiente em apenas uma área de tecnologia (isto é, no banco de dados) não é mais suficiente para os DBAs. A taxa de mudança no data center está se acelerando, e os profissionais de banco de dados devem mudar e se adaptar ao mesmo tempo. A natureza interconectada do data center moderno, junto com os milhares de serviços que os fornecedores de tecnologia podem oferecer, agora exige que os DBAs de nuvem conheçam habilidades básicas de rede como a configuração de VPNs, redes virtuais, topologias e solução de problemas de desempenho de rede para que sejam verdadeiramente eficazes em suas funções.

 

A facilidade do uso dos serviços de nuvem pública como Amazon AWS e Microsoft Azure criou um ambiente de TI “sem fronteiras” em que os métodos de gerenciamento de dados tradicionais não fornecem mais a visibilidade e o nível de informações necessário para atender às altas expectativas dos usuários finais. Em um futuro nem tão distante, os DBAs de nuvem deverão ser capazes de determinar quando um problema está relacionado à rede, seja uma de sua propriedade ou a rede um provedor de serviços de nuvem, incluindo quando se tratar de um alto nível de tráfego de dados que possa ser aliviado com a atualização para uma camada mais alta de serviços de nuvem.

 

Não há lugar como 127.0.0.1

 

A maioria dos DBAs tradicionais tem pouca ou nenhuma experiência com administração de rede, por isso pode ser difícil para eles compreender por que essas habilidades são necessárias no mundo da TI híbrida. Lembre-se: os DBAs de nuvem ainda têm as mesmas responsabilidades, prioritariamente com a recuperação dos dados. Se uma organização mover os bancos de dados para a nuvem, o DBA deve ter certeza de que conseguirá recuperar os dados da empresa, além de poder acessá-los facilmente quando necessário. A rede, é claro, é o principal canal para fazer justamente isso. Assim, problemas como latência e largura de banda se tornam problemas de acessibilidade e de recuperação de dados.

 

Quando surge um problema, os DBAs de nuvem que têm uma compreensão das práticas de gerenciamento de rede e das ferramentas certas podem começar com uma análise de tráfego, verificando quanto é verdadeiramente tráfego de dados e quanto pode ser um retardo causado por fãs de Pokémon Go, e solucionar o problema com base nesses dados.

 

É claro que preocupações com a segurança dos dados sempre estarão presentes. Os DBAs de nuvem precisam também compreender como os usuários estão acessando e consumindo os dados. Isso exigirá que eles tenham um conhecimento amplo de como os dados são manipulados na transmissão, além de uma ideia das conexões e interconexões de todos os sistemas.

 

Elimine a lacuna

 

É claro que mesmo as habilidades de rede mais básicas tomam algum tempo para serem aprendidas e cultivadas e o tempo é um bem muito valioso. Veja algumas práticas recomendadas simples que ajudarão os DBAs a se tornarem capazes de eliminar as lacunas da TI híbrida ao mesmo tempo que aumentam a eficácia na realidade atual:

 

  1. Esteja ciente das mudanças. Hoje, as atualizações de software são lançadas em um ritmo nuca antes visto, muitas vezes com pequenas novidades surgindo a cada dois ou três meses. Um DBA de nuvem precisa pensar criticamente sobre essas mudanças, bem como outras tendências no cenário de TI, perguntando-se constantemente: “isso é algo que podemos aproveitar? Se sim, esta é a escolha certa ou há opções melhores disponíveis?” O objetivo final precisa ser a melhor experiência geral para o negócio e os clientes. Isso pode significar que é hora de uma mudança, mas também pode significar que não é a hora certa.

 

  1. O diabo está nos detalhes (da rede). Uma consulta que pode levar segundos para ser executada no local pode levar um minuto na nuvem devido a uma série de fatores, e problemas no desempenho da rede não os menores deles. Portanto, é importante que os DBAs de nuvem compreendam como os dados percorrem as redes e considerem como causa inicial de um problema de desempenho de banco de dados em nuvem outras possibilidades, como a latência de rede, em vez de atribuir a causa padrão: “tráfego de dados pesado”.

 

  1. Quanto mais visibilidade, melhor. Na era da TI híbrida, o DBA de nuvem precisa de ferramentas de gerenciamento avançadas, como monitoramento de caminho de rede visual, para ajudá-lo a recuperar muito da visibilidade perdida na mudança para a nuvem. Ela permite não só a detecção simplificada de problemas em redes internas, mas também estende a solução de problemas pela Internet e para redes de provedores de serviços. Ferramentas como essa serão essenciais à medida que os DBAs e os departamentos de TI procurem diferenciar entre problemas de desempenho de dados e problemas de desempenho de rede.

 

  1. Um ponto de vista único. Os DBAs de nuvem precisam de ferramentas de gerenciamento e monitoramento abrangentes que forneçam um único painel de desempenho e a capacidade de fazer drill down em tecnologias de banco de dados e em métodos de implantação, incluindo a nuvem. Isso garantirá que as organizações não estejam desperdiçando orçamento valioso investigando um problema de desempenho de banco de dados com a solução errada. Com um conjunto de dados mais amplo e maior visibilidade, os DBAs de nuvem podem passar de um potencial problema de desempenho para outro mais rapidamente e diagnosticá-los e resolvê-los da forma correta.

 

Resumo

 

O sucesso como DBA de nuvem reside na melhor compreensão do conjunto completo de tecnologias e operações de data center, não apenas do banco de dados. Isso se aplica principalmente quando se trata do papel que as redes desempenham. Os DBAs de nuvem precisam conhecer cada roteador e modem em que a transmissão de seus dados é feita? Não, provavelmente não. Mas um DBA bem-sucedido na era da TI híbrida terá realmente um sólido entendimento do conjunto mais amplo de tecnologias interconectadas que formam o data center completo; como os dados chegam de um ponto a outro, e uma linha de base para ajudar a identificar quando o desempenho é normal e quando não é.

 

Lembre-se: a nuvem não é uma ameaça, é uma oportunidade.

 

* Thomas LaRock é gerente técnico da SolarWinds

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Mercado

Hotéis na mira do vazamento de dados

Pesquisa da Symantec revela que sites podem vazar suas informações de reserva, permitindo que outras pessoas vejam os dados pessoais...
Security Report | Mercado

Tendências de segurança em Sistemas de Controle Industriais

Análise categoriza e classifica os riscos mais recorrentes após observação empírica; menos um terço dos riscos críticos e de alta...
Security Report | Mercado

Minsait amplia oferta de inteligência e segurança de redes com a Allot

Aliança entre as empresas tem como foco suprir a demanda do mercado de telecom brasileiro por dados analíticos com foco...
Security Report | Mercado

Boldon James lança solução de classificação de dados

OWA Classifier estende o suporte de classificação de dados do Outlook para o Microsoft Office 365