Mais de 30% dos líderes reconheceram que o aumento da confiança incrementa os lucros

Segundo levantamento, 65% dos profissionais ouvidos informaram que os requisitos de Segurança das informações são moldados pelas necessidades de compliance em vez de ambições estratégicas de longo prazo

Compartilhar:

Mais de 30% dos líderes das organizações entrevistadas pela KPMG reconheceram que o aumento da confiança incrementa os lucros. Além disso, 65% deles informaram que os requisitos de segurança das informações são moldados pelas necessidades de compliance em vez de ambições estratégicas de longo prazo. No levantamento, eles apontaram que a confiança importa mais do que nunca — e não se trata somente de reputação — já que cria vantagem competitiva e aumenta o resultado. Essas são as conclusões da pesquisa realizada com 1.881 executivos de organizações globais.

 

“Cada vez mais, as empresas reconhecem o valor da confiança. Em um ambiente incerto e em constante mudança, os clientes, os funcionários e os investidores valorizam aquelas organizações nas quais eles sabem que podem confiar. Para construir, fortalecer e manter esse sentimento, é essencial que as diversas áreas atuem em harmonia, entregando ao cliente a consistência e a imagem unificada que ele tanto valoriza”, afirma o sócio-líder de segurança cibernética e privacidade da KPMG no Brasil e na América do Sul, Leandro Augusto.

 

No estudo, os entrevistados foram questionados sobre como as empresas reconheceram a conexão entre a confiança digital e a pauta ambiental, social e de governança (ESG). Menos de um em cinco disse que a equipe dos diretores de segurança da informação (CISO) é parte integrante do grupo de ESG. Além disso, 50% relataram que eles desempenham um papel muito limitado ou nenhum papel em ESG.

 

“A segurança cibernética e a privacidade desempenham papel-chave na construção e na manutenção dessa confiança. As empresas estão aumentando a coleta de dados, expandindo o uso de tecnologias como a inteligência artificial e o aprendizado de máquina adotando a pauta ambiental, social e de governança (ESG), ao mesmo tempo em que precisam se adequar às normas regulatórias extremamente complexas”, conclui o sócio de segurança cibernética e privacidade da KPMG no Brasil, Klaus Kiessling.

 

Cinco passos cruciais para a confiança:

 

A pesquisa identificou, também, cinco passos cruciais para a construção da confiança por meio da segurança cibernética. São os seguintes: tratar a privacidade e a segurança cibernética como assunto da máxima importância; construir alianças internas; reimaginar o papel dos diretores de segurança da informação; garantir o apoio da liderança; e atuar em sinergia com o ecossistema.

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Soluções de proteção dos usuários miram portifólio dos marketplaces internacionais

Os clientes da AWS em todo o mundo podem agora implantar o conjunto de proteção de pessoas e informações da...
Security Report | Overview

Pesquisa aponta que 36% da Indústria tem níveis altos de conscientização em Cyber

Pesquisa da Zoho revela que organizações da região, especialmente as empresas brasileiras, têm nível alto de conscientização sobre segurança digital,...
Security Report | Overview

Novas brechas expõem ameaças à sistemas Windows, Cisco e Palo Alto, diz pesquisa

Relatório elaborado pela consultoria especializada em cibersegurança também destaca o surgimento de uma campanha massiva de phishing, que tem como...
Security Report | Overview

Cibersegurança nas PMEs: Controle de senhas é primeiro desafio a se enfrentar

Na visão de especialista em direito digital, aplicar melhores práticas de governança é um dos grandes trunfos na Segurança Cibernética...