[bsa_pro_ad_space id=3 delay=8]

Golpes atingiram 208 vítimas por minuto em junho

Segundo levantamento do dfndr lab, São Paulo e Rio de Janeiro concentram o maior número de vítimas

Compartilhar:

O dfndr lab realizou um levantamento sobre o panorama da cibersegurança no Brasil em junho deste ano. O laboratório projeta que os golpe de links maliciosos (Phishing) registram um total de 9 milhões de vítimas no período, o que significa uma média de 208 vítimas por minuto somente em junho de 2020. O levantamento mostra também que a temática mais explorada por cibercriminosos nos ataques de phishing foram as “promoções”: 915 mil acessos e compartilhamentos a links maliciosos no WhatsApp e redes sociais utilizaram este tema.

 

Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, esclarece: “Esse assunto (promoções) geralmente atrai muito a atenção das vítimas. Para que os golpes ganhem ainda mais proporção, os golpistas costumam atrelar o suposto recebimento de um brinde ao compartilhamento dos links maliciosos, pois desta forma fazem com que as vítimas “trabalhem para eles” como um vetor de disseminação do golpe”.

 

Clonagem de WhatsApp cresce mais uma vez:

 

Ainda de acordo com o laboratório, o golpe de Clonagem de WhatsApp, que ocorre quando a vítima tem seu WhatsApp invadido, e utilizado por terceiros de maneira indevida, geralmente para solicitar dinheiro de seus contatos, registrou um salto de 407 mil vítimas em maio para 420 mil vítimas em junho. São Paulo continua sendo o estado mais afetado, com 69,6 mil vítimas.

 

Fake news em foco:

 

Ainda de acordo com o levantamento, foram detectados 17,4 mil casos de fake news só em junho, e o tema mais utilizado segue sendo “saúde”. Simoni alerta: “No contexto em que tem sido usada, a fake news ganha uma proporção ainda mais grave. além de expor a segurança online das vítimas ainda põem em risco a integridade física das que acreditam e compartilham. Por isso, é preciso sempre reforçar a importância de checar todas as informações antes de compartilhar para não se colocar e colocar a outros em perigo”.

 

Como se proteger contra golpes digitais:

 

Os especialistas do dfndr lab listam alguns cuidados que os todos devem ter para não cair em golpes de phishing, clonagem de WhatsApp e fake news:

 

1 – Utilize soluções de segurança no celular que disponibilizem proteção contra ameaças digitais. O dfndr security, por exemplo, envia alertas de segurança para seus usuários sempre que sofrem uma tentativa de clonagem de WhatsApp, recebem um link malicioso ou uma fake news.

 

2 – Ative a autenticação em dois fatores, disponível no próprio WhatsApp, para aumentar a segurança da conta e evitar clonagens.

 

3 –  Tenha cuidado ao clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais. Sempre verifique as informações compartilhadas e desconfie de promoções, notícias sensacionalistas  e descontos. Descobriu que uma notícia compartilhada é fake news? Avise aos seus amicgos, familiares e conhecidos.

 

4 – Na dúvida, é possível verificar se um link é falso no site do dfndr lab. A checagem de links avisa em poucos segundos se um site pode oferecer alguma característica maliciosa.

 

 

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Ciberameaças às nuvens públicas crescem 93% em 2024, aponta relatório

Malware (41%), phishing (36%) e ransomware (32%) foram os que mais cresceram, atingindo principalmente ativos e armazenamento em Nuvem...
Security Report | Overview

Brasil é segundo maior alvo de novo malware contra carteiras digitais

Kaspersky já bloqueou mais de 100 vezes o novo ScarletStealer no Brasil em 2024, também conhecido como “CryptoSwap” por outros...
Security Report | Overview

Qual é a melhor estratégia de defesa cibernética para PMEs?

As pequenas e médias empresas estão se consolidando crescentemente como um dos alvos preferidos do cibercrime, pela facilidade e pelos...
Security Report | Overview

Era da desconfiança: como Zero Trust e Privileged Access Management bloqueiam ações criminosas?

Apesar de haver uma sensação de cuidado e Segurança com o controle de acesso, pesquisas mostram que apenas 20% das...