Dia da Internet Segura: 4 passos para aumentar a segurança online

Melhores práticas e cuidados de segurança online são pontos importantes para todos

Compartilhar:

Quando o Dia da Internet Segura chega, a situação da segurança cibernética não costuma mudar muito em relação ao ano anterior, mas esse não é o caso em 2021, por causa das mudanças no estilo de vida que a pandemia do coronavírus trouxe.

 

Nos Estados Unidos, o Wall Street Journal relatou que, em meados de março de 2020, o uso da Internet aumentou 25% em apenas alguns dias. Do outro lado do Atlântico, o Ofcom, regulador de serviços de comunicação do Reino Unido, apontou que o uso da Internet atingiu um ponto mais alto no ano. Em junho de 2020, os britânicos estavam, em média, passando mais de um quarto de suas horas de vigília online.

 

Para a maioria, a Internet tem sido, mais do que nunca, uma grande aliada que nos permitiu continuar trabalhando, estudando, comprando, socializando e nos divertindo quando não podíamos fazer isso pessoalmente.

 

Essa mudança no comportamento de compra teve grande impacto tanto nos varejistas quanto nos consumidores. 15% das empresas do Reino Unido criaram funções especificamente para atender a um aumento nas vendas digitais e impulsionar a capacidade online em setembro de 2020, e um terço (33%) dos varejistas do Reino Unido tiveram atualizações de seus sites.

 

Durante o ano passado, os criminosos exploraram regularmente os medos e ansiedades relacionados à saúde de todos nós — como usuários domésticos, funcionários e empregadores — para nos atrair para suas armadilhas criminosas. É possível conferir mais detalhes sobre como esse cenário de ameaças mudou em 2020 no Relatório de Ameaças 2021, da Sophos.

 

No dia da Internet Segura, a Sophos recomenda verificar práticas de segurança online e ter certeza de que  todos estejam o mais seguros possível nessa rede virtual:

 

1) Site seguro

 

Para pequenas empresas em países com bloqueio estrito, as vendas online são a única maneira de manter o comércio ativo, devido aos regulamentos de “clique e recolha”.

 

Como resultado, muitas pequenas empresas permitiram a compra online pela primeira vez no ano passado, com os desenvolvedores da web relatando uma corrida para implementar mecanismos de pagamento online nos primeiros meses da pandemia.

 

Se sua empresa tem um site, mesmo que seja modesto, é necessário analisar a segurança e quaisquer serviços de cobrança de pagamentos com os quais você trabalha ou se conecta. Se você puder pagar, peça a um terceiro para fazer a revisão para que se tenha uma opinião independente sobre o que foi bem configurado, quais partes podem ser melhoradas e quais partes, se houver, precisam de atenção urgente. Tenha certeza de que os criminosos estão regularmente “testando” seu servidor, mesmo que você não esteja.

 

Caso esteja executando um site via HTTP apenas, talvez porque as informações que está fornecendo sejam públicas e você ache que não precisa ser criptografado, atualize para HTTPS para o bem de todos.

 

Se você não gerencia seu próprio site, fale com seu serviço de hospedagem — qualquer provedor de confiança ficará feliz em responder suas perguntas e não atrapalhará uma avaliação de segurança independente.

 

2) Ao fazer compras online, tome cuidado antes de compartilhar os dados do cartão 

 

Leia as 6 dicas para segurança online publicadas no fim de semana da Black Friday, que costuma ser o pico da temporada de varejo. Essas dicas se aplicam o ano todo e são muito fáceis de executar.

 

Da aplicação de um congelamento de crédito ao uso de etapas extras de autenticação, explicamos como se proteger do risco ao fazer compras online, seja por escolha ou por necessidade.

 

3) Eduque amigos e familiares

 

Muitos usuários ocasionais da web se tornaram grandes consumidores quase da noite para o dia. Muitas pessoas que antes apenas usavam a internet para ler notícias ou checar e-mails agora estão usando-a de várias outras maneiras todos os dias, inclusive para se encontrarem para bate-papos.

 

Converse com amigos e familiares sobre boas práticas de segurança online. Aconselhe-os sobre como detectar fraudes.

 

Os cibercriminosos estão aproveitando que as pessoas estão em casa para fazer ligações ameaçadoras, enviam SMS sobre entregas em domicílio para aplicar golpes e estão se aproveitando das pessoas que tentam baixar conselhos de saúde ou marcar consultas para vacinas.

 

4) Proteja os dispositivos utilizados para acessar a internet

 

Confira as dicas para educação em casa. Elas são úteis mesmo se não houver crianças em casa, porque explicam como se manter seguro agora que a maioria das redes domésticas basicamente se tornaram uma rede de pequenas empresas.

 

Verifique também as dicas de Wi-Fi doméstico para ajudá-lo a bloquear sua rede de espionagem externa. Não espere até que algo ruim aconteça para descobrir como se proteger contra isso!

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

ChatGPT integrado pode auxiliar na governança e conformidade de dados?

Netskope ampliou o gerenciamento de riscos ao compliance do chatbot da OpenAI com controles de API visando controlar dados confidenciais
Security Report | Overview

Telecomunicações não foram afetadas por Apagão Cibernético, diz Anatel

Para o órgão de fiscalização, o evento ilustra que, à medida que os diversos setores econômicos passaram por transformação digital,...
Security Report | Overview

Pesquisadores identificam ataque de controle de contas direcionado a organizações brasileiras

Os especialistas da Proofpoint indicaram que o agente hostil usa, desde junho, a criação de regras de caixa de e-mail...
Security Report | Overview

Azul e Visa formam parceria para reduzir fraudes em e-commerce

Iniciativa tem o objetivo de permitir uma experiência de aprovação de compra segura e confiável para os Clientes da companhia