Cibercrimes em MG aumentam 40% e alertam sobre necessidade de investir em prevenção

Golpes cometidos por WhatsApp, sites e aplicativos reforçam a importância de ações de conscientização e medidas preventivas, especialmente porque 95% das violações de segurança poderiam ser evitadas, segundo estudo

Compartilhar:

O Estado de Minas Gerais tem sofrido com um aumento nos crimes de estelionato virtual, registrando um crescimento significativo de 40% em 2023 em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados divulgados pela Redbelt Security, revelaram que quase 51 mil pessoas foram vítimas de golpes online ou via Whatsapp no ano passado, em comparação com cerca de 36 mil casos em 2022.

 

Esses golpes, realizados por meio de WhatsApp, sites e aplicativos, surgem como uma ameaça em ascensão que demanda atenção imediata. Segundo um levantamento realizado por diversas empresas, incluindo OLX, AllowMe, iCarros Itaú, Único, Who e Zoop, os mineiros sofreram prejuízos estimados em R$ 100 milhões nos primeiros nove meses de 2023.

 

Eduardo Lopes, CEO da Redbelt Security, aponta a falta de conhecimento em segurança digital como um fator determinante para justificar esse cenário. A cada hora ocorrem, em média, quatro golpes virtuais em Minas Gerais. Nos dois primeiros meses de 2023, a Polícia Civil registrou 6.067 ocorrências de estelionato por meios digitais no Estado, sendo 5.056 delas consumadas.

 

Riscos para indivíduos e empresas

 

Apesar de reconhecer que esse número pode ser ainda maior – pois, segundo o Serasa, 39% das vítimas não tomam qualquer providência formal –, o impacto dos crimes virtuais não se limita aos indivíduos; as empresas também estão na mira desses cibercriminosos. Nesses casos, um simples clique em um link fraudulento pode desencadear ataques devastadores, resultando em prejuízos financeiros substanciais e danos à reputação algumas vezes incalculáveis.

 

“Hoje, 91% de todos os ataques começam com um e-mail de phishing enviado para uma vítima desavisada”, destaca Lopes. A obtenção de dados legítimos por meio desses ataques, como login e senha corporativos, permite aos cibercriminosos acessar os sistemas empresariais, abrindo caminho para ataques mais prejudiciais, incluindo ransomware, roubo de informações sigilosas e fraudes financeiras.

 

Prevenção é a chave

 

Segundo Lopes, diante dessa realidade, a conscientização sobre práticas seguras na internet, a implementação de medidas de proteção robustas e a educação contínua são cruciais para proteger tanto indivíduos, quanto empresas contra essas ameaças. .”Pelo menos 95% das violações de segurança poderiam ser evitadas, com medidas simples e um pouco mais de atenção dos usuários”, afirma o CEO da Redbelt Security.

 

Para tanto, os passos fundamentais envolvem: checar os remetentes, verificar o conteúdo do e-mail e ter cuidado com anexos. É essencial reportar à equipe de segurança qualquer atividade suspeita, pois, mesmo com filtros antivírus, firewalls e outras tecnologias de spam, alguma tentativa de ataque sempre pode alcançar os funcionários. Além disso, é fundamental utilizar a internet de forma consciente. O executivo lembra que as pessoas são a parte mais vulnerável da rede de segurança e se não estiverem conscientes e atentas há grandes chances de todo o sistema estar em risco.

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Itaú Unibanco lança campanha nacional de Marketing sobre Segurança e fraudes

Filmes serão exibidos na programação da TV Globo; campanha faz parte da estratégia para posicionamento do Itaú como banco referência...
Security Report | Overview

Brasil é uma das principais origens de ataques de DoS, aponta levantamento

Relatório da ISH Tecnologia também apresenta tentativas de logins mais usadas por criminosos, entre outros dados
Security Report | Overview

27% dos ataques cibernéticos na América Latina miram infraestrutura crítica

Pesquisa da Kaspersky também revela problemas no setor de transporte e manufatura
Security Report | Overview

Paris 2024: pesquisa revela que os Jogos estão em alto risco de ciberataques

De acordo com a Unit 42, os ciberataques são as principais ameaças ao evento esportivo mais importante do ano, com...