Aumento no faturamento em e-commerce deve atrair hackers

Lojas físicas e virtuais se preparam para o próximo Dia da Criança e movimentação estimada em R$ 7,3 bilhões pode ser alvo de cibercriminosos que esperam lucrar com o entusiasmo de consumidores desatentos

Compartilhar:

Lojas de comércio reais e virtuais estão se preparando para o próximo Dia da Criança, 12 de Outubro, que pelas estimativas da Federação do Comércio do Rio de Janeiro deve movimentar cerca de 7,3 bilhões de Reais. E mais, de acordo com a Ebit, empresa especializada em ecommerce, cerca de 1,47 bilhão de Reais, ou seja, 20% desse volume, será pago online, gerando um faturamento quase 4% maior do que o do ano passado. Com tudo isso em jogo, o Dia da Criança deve também atrair cibercriminosos, interessados em lucrar com o entusiasmo dos consumidores nos dias que antecedem datas como essa, alerta  Jaromir Horejsi, analista sênior de malware da Avast.

 

“As táticas para atrair as vítimas costumam ser as mesmas, embora os canais variem: oferecimento de prêmios, promoções e liquidações enviados por emails ou mensagens em redes sociais; emails contendo links para a visualização de recibos de lojas conhecidas, para a retirada de mercadorias valiosas ou para o recebimento de quantias em dinheiro. Essas são algumas das iscas enviadas às pessoas, para que clicando em algum link caiam em páginas contaminadas, sejam convidadas a instalar aplicativos ou digitar seus dados bancários. As iscas podem ser enviadas inclusive por meio de anúncios que também conduzem a pontos perigosos da web”, diz o especialista da Avast.

 

Jaromir Horejsi diz que em épocas como esta a navegação na Web se torna mais perigosa por causa do aumento de atividade dos cibercriminosos. Ele recomenda em primeiro lugar que os consumidores tenham instalado um antivírus em seus dispositivos: “Na verdade um antivírus faz muito mais do que somente evitar a contaminação por vírus: ele reconhece e bloqueia o acesso a páginas contaminadas, protegendo assim o consumidor”. Uma alternativa complementar, ele acrescenta, é utilizar um navegador seguro para fazer transações bancárias online.

 

“Uma das vantagens de utilizar esse tipo de navegador é que ele oferece um modo de navegação protegido para a execução segura de todas as transações financeiras, isolando o usuário de hosts ou redes contaminados, e previne que keyloggers ou escutas na rede capturem qualquer dos dados da transação” finaliza o especialista da Avast.

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

Após 5 dias da ação do FBI, LockBit está de volta com novas estratégias de ciberataque

No sábado (24), o administrador do grupo anunciou retomada dos negócios ilícitos, reconhecendo que os sites foram bloqueados pelas polícias...
Security Report | Destaques

A queda do LockBit na visão dos CISOs

Ricardo Castro, da Clash, e Paulo Condutta, do Ouribank, acreditam que, apesar de ser importante o fato de autoridades internacionais...
Security Report | Destaques

CPFL Energia amplia estratégias de defesa cibernética em redes OT

Com apoio tecnológico da CISCO, a distribuidora de energia superou obstáculos e garantiu a implementação de 700 Subestações e Usinas...
Security Report | Destaques

Startup inglesa de SI escolhe o Brasil para expansão internacional

Os planos da Sitehop incluem um novo escritório em São Paulo, parcerias com canais de distribuição em todo o país,...