75% das organizações estão buscando os mesmos grupos de fornecedores de segurança em 2022

Levantamento mostra que empresas tem buscado uma consolidação dos fornecedores de segurança

Compartilhar:

Uma pesquisa do Gartner revelada ontem descobriu que 75% das organizações estão buscando a consolidação de fornecedores de segurança em 2022, bem acima dos 29% registrados em 2020. “Os líderes de segurança e gerenciamento de risco estão cada vez mais insatisfeitos com as ineficiências operacionais e a falta de integração de uma pilha de segurança heterogênea”, disse John Watts, VP Analyst do Gartner. “Como resultado, eles estão consolidando o número de fornecedores de segurança que usam.”

 

A pesquisa descobriu que 57% das organizações estão trabalhando com menos de dez fornecedores para suas necessidades de segurança, pois procuram otimizar para menos fornecedores em áreas-chave, como SASE (borda de serviço de acesso seguro) e detecção e resposta estendidos (XDR).

 

A análise foi realizada online durante março e abril de 2022 com 418 executivos da América do Norte, Ásia-Pacífico e EMEA. Seu objetivo era determinar os esforços e prioridades de consolidação do fornecedor de segurança das organizações e os direcionadores e benefícios dos esforços de consolidação. Durante o evento Gartner Security & Risk Management Summit, que acontece em Londres até hoje, dia 14 de Setembro, os analistas do Gartner estão discutindo de que modo as organizações podem moldar sua estratégia e projetos para fornecedores de segurança.

 

Os dados coletados apontam que as organizações desejam consolidar seus fornecedores de segurança para reduzir a complexidade e melhorar a postura de risco, não para economizar no orçamento ou melhorar a aquisição. Sessenta e cinco por cento das organizações pesquisadas esperam melhorar sua postura geral de risco, e apenas 29% dos entrevistados esperam gastos reduzidos com licenciamento.

 

“A otimização de custos não deve ser o principal fator para a consolidação do fornecedor”, disse Watts. “As organizações que buscam otimizar custos devem reduzir produtos, licenças e recursos ou, em última análise, renegociar contratos.”

 

As organizações que ainda não buscaram a consolidação de fornecedores de segurança indicaram que os dois principais impedimentos para a consolidação eram restrições de tempo e ter uma parceria de fornecedor muito rígida (34% dos entrevistados para cada resposta).

 

Processos de compras demorados ou solicitações de propostas estão permitindo ofertas consolidadas, como XDR para endpoints e SASE para conectividade de borda e segurança com integração no back-end.

 

A pesquisa constatou que 41,5% dos entrevistados planejam adotar o SASE em suas organizações até o final de 2022, enquanto 54,5% das organizações planejam adotar o XDR até o final de 2022.

 

Além disso, descobriu-se que 57% das organizações resolveram ameaças de segurança mais rapidamente após implementar uma estratégia de XDR. Mais da metade das organizações pesquisadas usam projetos SASE para simplificar o gerenciamento de políticas de rede e segurança e melhorar a postura de segurança.

 

“Enquanto 89% das organizações pesquisadas desejam que o SASE e o XDR trabalhem juntos, os líderes de segurança e gerenciamento de risco geralmente optam por mantê-los distintos um do outro, mas garantem que possam interoperar”, disse Dionisio Zumerle, VP Analyst do Gartner. “Esta é uma abordagem validada por 46% das organizações pesquisadas, que permite flexibilidade para selecionar a melhor funcionalidade da categoria.”

 

“Os líderes de segurança e TI devem planejar pelo menos dois anos para a consolidação, pois leva tempo para consolidar efetivamente e considerar os custos de troca de fornecedores estabelecidos”, disse Watts. “Também é importante antecipar a interrupção de fusões e aquisições de fornecedores, pois o mercado de segurança está sempre se consolidando, mas nunca consolidado.”

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Itaú Unibanco lança campanha nacional de Marketing sobre Segurança e fraudes

Filmes serão exibidos na programação da TV Globo; campanha faz parte da estratégia para posicionamento do Itaú como banco referência...
Security Report | Overview

Brasil é uma das principais origens de ataques de DoS, aponta levantamento

Relatório da ISH Tecnologia também apresenta tentativas de logins mais usadas por criminosos, entre outros dados
Security Report | Overview

27% dos ataques cibernéticos na América Latina miram infraestrutura crítica

Pesquisa da Kaspersky também revela problemas no setor de transporte e manufatura
Security Report | Overview

Paris 2024: pesquisa revela que os Jogos estão em alto risco de ciberataques

De acordo com a Unit 42, os ciberataques são as principais ameaças ao evento esportivo mais importante do ano, com...