69% dos brasileiros creem que seus aparelhos espionam conversas, relata pesquisa

Sobre as leis de proteção de dados, apenas 32% dos entrevistados afirmaram que realmente se sentem protegidos

Compartilhar:

Brasileiros temem por sua segurança digital, desconfiam das soluções legais apresentadas por seus governos e demonstram, ao mesmo tempo, otimismo e ansiedade em relação ao futuro da inteligência artificial. Esses são alguns insights de uma pesquisa realizada pela Sherlock Communications com quase 3.500 entrevistados na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru, incluindo mais de 850 brasileiros. O estudo foi compilado no ebook Cibersegurança: Proteção de Dados e IA na América Latina.

 

No Brasil, 69% acreditam que seus dispositivos pessoais estão ouvindo suas conversas em segredo. A desconfiança também se estende ao setor privado, com 76% dos entrevistados afirmando que temem que as empresas vendam seus dados pessoais sem permissão, enquanto apenas 32% dos entrevistados disseram acreditar que as leis de proteção de dados efetivamente os protegem.

 

“Ao falar sobre privacidade e segurança na América Latina, a desconfiança em relação aos dados domina o cenário”, afirma André Duffles T. Aranega, Consultor de Segurança digital na Sherlock Communications. “Apesar de muitos avanços recentes, os latino-americanos ainda expressam ceticismo com a ideia de que as empresas e os governos estejam fazendo um bom trabalho em protegê-los”.

 

Preocupações similares se estendem ao campo da inteligência artificial. 63% dos brasileiros concordaram que o uso da inteligência artificial para armazenamento de informações pode aumentar o risco da fraude de dados. Mesmo assim, a ampla maioria dos entrevistados é otimista, com 70% concordando com a afirmação de que a inteligência artificial trará uma enorme mudança positiva para a vida das pessoas.

 

Mudança de hábitos

“Como no resto do mundo, as preocupações com segurança e privacidade estão mudando rapidamente os hábitos da população”, observa André Aranega. Segundo o levantamento, 43% dos entrevistados disseram estar limitando a quantidade de dados pessoais que compartilham online, 83% afirmam usar senhas fortes e 87% evitam clicar em links em mensagens não solicitadas.

 

Os usuários também relatam a aplicação de medidas que garantam a própria proteção, com 74% dos entrevistados adotando autenticação em dois fatores e 51% utilizando um e-mail secundário apenas para compras online. No quadro geral, os brasileiros tendem a se sair melhor que o resto da América Latina em boas práticas de proteção de dados.

 

Um dado curioso, que contradiz a percepção de insegurança comum no Brasil: somente 11% dos brasileiros afirmam que já tiveram seus celulares ou outros dispositivos roubados. Esse é o menor número entre todos os países pesquisados. Em comparação, 23% dos peruanos relatam já terem sido roubados, mais que o dobro dos brasileiros, proporcionalmente.

 

“Estamos à beira de uma revolução tecnológica”, conclui André Aranega. “Essa era promete um potencial monumental para o crescimento tecnológico, inovação e liderança na construção do futuro. Também apresenta sérios desafios que exigem intervenções e soluções inovadoras, tanto de governos quanto de empresas”.

 

Outros insights

55% não atendem mais chamadas telefônicas de números não identificados, citando o incômodo com telemarketing e golpes;

 

66% dizem ser muito difícil saber se estão falando com um humano ou chatbot ao conversar com empresas;

 

68% temem perder seus empregos para inteligência artificial;

 

67% se dizem preocupados com o uso da IA para criar notícias falsas;

 

68% temem pelo impacto da AI na democracia.

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Investigação desevenda ciberataques usando botnets vendidos a US$ 100 na dark web

Nova análise da Kaspersky mostra ainda que é possível alugar ou comprar parte do código dessas redes de computadores fantasmas...
Security Report | Overview

Brasil é um dos 7 maiores alvos de ransomware, calcula relatório

Posicionamento da companhia ISH Tecnologia também destaca as principais vulnerabilidades cibernéticas localizadas em 2024 e os grupos criminosos mais atuantes...
Security Report | Overview

ChatGPT integrado pode auxiliar na governança e conformidade de dados?

Netskope ampliou o gerenciamento de riscos ao compliance do chatbot da OpenAI com controles de API visando controlar dados confidenciais
Security Report | Overview

Telecomunicações não foram afetadas por Apagão Cibernético, diz Anatel

Para o órgão de fiscalização, o evento ilustra que, à medida que os diversos setores econômicos passaram por transformação digital,...