5% das empresas brasileiras já perderam todos os seus dados

Compartilhar:

Pesquisa global da Arcserve detectou número bem superior aos 2% encontrando em mercados mais consolidados da America do Norte, Europa e Ásia

No mês de conscientização sobre a importância do backup e da proteção dos dados, pesquisa global encomendada pela Arcserve e realizada em 11 países apontou que 5% dos entrevistados brasileiros declararam que suas empresas foram vítimas de ciberataques que redundaram na perda total dos dados. Este foi o maior percentual registrado pela pesquisa, bem superior aos 2% constatados em países como Estados Unidos, Canadá, Índia e Japão. Nenhuma empresa da Coréia e do Reino Unido registrou a perda total dos dados.

Tendo como base de consulta mais de mil profissionais diretamente ligados à tomada de decisão técnica ou orçamentária para soluções de gerenciamento, proteção de dados e armazenamento de dados, o levantamento também chama a atenção para o fato de que quase um quarto das empresas globais não possuem um plano abrangente de recuperação de desastres.

Para Patrick Tournoy, vice-presidente executivo de operações da Arcserve, “o mês de conscientização sobre Backup foi criado para ajudar as pessoas a estarem mais conscientes da importância que os dados desempenham em nossas vidas diárias e da importância de mantê-los seguros. É claro que concordamos plenamente com isso e acreditamos que um planejamento robusto e testado de recuperação de dados é fundamental para qualquer plano de backup e proteção”.

A pesquisa encomendada pela Arcserve apontou também que 76% das empresas de médio porte sofreram perda de dados nos últimos cinco anos, sendo que 45% dos entrevistados não conseguiram recuperar todos os seus dados após uma perda. Apenas 24% afirmaram ter um plano de recuperação de desastres bem documentado, rigorosamente testado e atualizado e 77% das empresas de médio porte não possuem um plano de resiliência de dados claramente definido.

Para a proteção dos dados e rápida volta à normalidade operacional, a Arcserve recomenda que as empresas adotem a estratégia de backup de dados 3-2-1-1, na qual são feitas três cópias de backup dos dados em duas mídias diferentes, como disco e fita, sendo que uma dessas cópias fica localizada fora do local para recuperação de desastres. O número 1 final é o backup imutável – elemento-chave para uma proteção bem-sucedida contra ransomware porque os dados são convertidos em um formato de gravação única, lidos muitas vezes e, o que é mais importante, não podem ser alterados.


A pesquisa foi realizada pela Dimensional Research com 1.121 tomadores de decisão de TI completaram a pesquisa. Todos os participantes tinham uma responsabilidade de tomada de decisão técnica ou orçamentária para soluções de gerenciamento, proteção de dados e armazenamento de dados em uma empresa com 100 a 2.500 funcionários e pelo menos 5 TB de dados. A pesquisa foi realizada na Austrália, Nova Zelândia, Brasil, França, Alemanha, Índia, Japão, Coreia, Reino Unido, Estados Unidos e Canadá (América do Norte).


Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Anatel emite ofícios às Big Techs sobre Cibersegurança em Inteligência Artificial

Os documentos têm o objetivo de iniciar uma discussão institucional com essas empresas de tecnologia sobre os riscos de cibersegurança...
Security Report | Overview

Precisamos falar sobre a tecnologia obsoleta em Cibersegurança?

O controle de legados em ambientes corporativos está cada vez mais na pauta dos Líderes de Cyber no mundo. Isso...
Security Report | Overview

Ataques iniciados por infostealers ampliam risco de violações secundárias, aponta estudo

Ocorrência recente envolvendo a Snowflake impactou milhões de clientes do banco Santander e da Ticketmaster, entre outras organizações
Security Report | Overview

30% das organizações na América Latina sofreram incidentes de segurança em 2023

Relatório mapeia principais desafios das organizações para aprimorar as práticas de gestão em cibersegurança. O crime é composto por ecossistema...