42% das empresas de capital aberto no Brasil estão vulneráveis a ciberataques

Estudo do Grupo Daryus antecipa práticas e estratégias inovadoras para enfrentar os desafios cibernéticos

Compartilhar:

O Panorama Cyber Insights, estudo realizado pelo Grupo Daryus, revela que 42% das empresas com capital aberto no Brasil estão vulneráveis a ataques cibernéticos devido à falta de proteção adequada para sistemas de controle industrial e tecnologias operacionais. O levantamento indica que essas empresas estão expostas a ataques que podem comprometer seus negócios e atividades, resultando em graves consequências financeiras, operacionais e de reputação.

 

Embora compreendam os riscos que a ausência de uma estratégia robusta de cibersegurança representa, 49% das organizações no mundo operam com um plano de segurança básico ou sem nenhum tipo de plano de cibersegurança. Esse dado é composto por empresas que não sabem como equilibrar a administração empresarial com a estratégia de segurança cibernética e/ou acreditam que as estratégias de cibersegurança impactam os negócios de forma restritiva.

 

“Esse tema deve ser abordado com mais frequência dentro das empresas, pois impacta diretamente a saúde dos negócios. Companhias que ainda não reconheceram a importância da proteção podem enfrentar crises financeiras e de reputação graves. Nossa proposta com o Panorama é mostrar ao mercado a realidade do comportamento dos profissionais brasileiros diante das ameaças emergentes”, afirma Jeferson D’Addario, CEO do Grupo Daryus, consultoria especializada no assunto.

 

O Panorama também identificou que os ataques cibernéticos podem causar danos de 10,5 trilhões de dólares até 2025, um aumento de 300% em relação à 2015. Organizações que adotam um sistema básico de cibersegurança direcionam seus esforços apenas para seguirem a legislação vigente, sem se preocupar de verdade sobre as ameaças e estragos que esses crimes cibernéticos são capazes de causar. A análise prevê ainda que nos próximos dois anos, 45% de organizações globais serão impactadas de alguma forma por ataques de cadeia de suprimentos (supply chain).

 

“O panorama visa ajudar o mercado a entender a percepção atual da cibersegurança no Brasil, focando em ameaças emergentes, gestão de riscos e resposta a incidentes. Utilizando uma análise de dados públicos, foram avaliadas as percepções dos gestores de cibersegurança e identificadas as melhores práticas e recomendações. O objetivo é traçar estratégias relevantes para o setor e apoiar a tomada de decisões das empresas”, finaliza D’Addario.

 

O levantamento foi realizado pelo Grupo Daryus em maio e junho de 2024.

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Investigação desevenda ciberataques usando botnets vendidos a US$ 100 na dark web

Nova análise da Kaspersky mostra ainda que é possível alugar ou comprar parte do código dessas redes de computadores fantasmas...
Security Report | Overview

Brasil é um dos 7 maiores alvos de ransomware, calcula relatório

Posicionamento da companhia ISH Tecnologia também destaca as principais vulnerabilidades cibernéticas localizadas em 2024 e os grupos criminosos mais atuantes...
Security Report | Overview

ChatGPT integrado pode auxiliar na governança e conformidade de dados?

Netskope ampliou o gerenciamento de riscos ao compliance do chatbot da OpenAI com controles de API visando controlar dados confidenciais
Security Report | Overview

Telecomunicações não foram afetadas por Apagão Cibernético, diz Anatel

Para o órgão de fiscalização, o evento ilustra que, à medida que os diversos setores econômicos passaram por transformação digital,...