Senacon notifica Grupo RaiaDrogasil por tratamento indevido de dados pessoais

Ação da Secretaria Nacional do Consumidor vem em resposta à informação veiculada sobre o uso do banco de dados do conglomerado farmacêutico para comercializar publicidades direcionadas. Segundo posicionamento, a Senacon busca saber os procedimentos da coleta de dados e se os clientes foram devidamente informados

Compartilhar:

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), informou nesta segunda-feira (23), ter notificado o Grupo RaiaDrogasil a responder uma série de questões a respeito do tratamento de dados pessoais e sensíveis de seus clientes. O órgão pretende investigar possível mal uso de informações privadas e comercialização sem o consentimento dos cadastrados.

A ação pública vem à esteira de informações que circularam nos veículos de imprensa nacional, sobre uma empresa ligada ao RaiaDrogasil, o RD Ads, como responsável por vender publicidade direcionada a perfis específicos de consumidores, definidos a partir dos históricos de compra e informações básicas dos indivíduos. De acordo com o site de notícias, o banco de dados do grupo armazena 15 anos de registros de 48 milhões de pessoas.

Segundo informou a Senacon em seu site oficial, foi aberta uma investigação para apurar a veracidade dessas acusações e avaliar o nível de conformidade da RaiaDrogasil com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e com os direitos do consumidor. A pasta informa que o tratamento inadequado de informações de saúde pode gerar desdobramentos graves à privacidade e à segurança dos clientes.

“A legislação brasileira estabelece diretrizes claras de proteção dos dados pessoais sensíveis, com base na LGPD. É fundamental as empresas cumprirem rigorosamente essas regulamentações, garantindo o consentimento dos consumidores e consumidoras obtidos de forma transparente. Os dados também devem ser tratados de acordo com as finalidades informadas”, afirmou o Secretário Nacional do Consumidor, Wadih Damous.

A linha de apuração seguida pela Senacon também envolve confirmar quais foram as partes que tiveram acesso a esses dados, pois segundo as apurações que circularam, não apenas companhias do Grupo RaiaDrogasil fizeram essa publicidade, mas também organizações terceiras. Além disso, a secretaria pretende investigar a prática de induzir clientes a conceder dados pessoais em favor de redução de preço dos produtos e serviços.

O Grupo RaiaDrogasil ainda terá um prazo de 10 dias a partir da ciência da notificação para esclarecer os tópicos em dúvida, como quais os procedimentos de coleta de dados e consentimento dos consumidores. O conglomerado ainda precisará informar se os clientes são devidamente informados sobre o arquivamento das informações e os usos comerciais feitos delas.

A Security Report entrou em contato com o Grupo RaiaDrogasil, que se dispôs a “responder aos questionamentos dentro do prazo definido pela Senacon”.

*Com informações da Secretaria Nacional do Consumidor


Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

AT&T comunica acesso indevido aos dados dos clientes

Registros de chamadas telefônicas e mensagens de texto de quase todos os clientes foram baixados ilegalmente. Em nota, a companhia...
Security Report | Destaques

“Transparência é o fator-chave da relação entre SI e empresa”, afirma Gil Vega, CISO da Veeam

O atual líder de Segurança da Informação da vendor falou com exclusividade à Security Report sobre sua trajetória em diversos...
Security Report | Destaques

BRASPRESS retoma funcionamento do site oficial após ataque de ransomware

Incidente que causou a parada de diversos sistemas operacionais da companhia se deu ainda no começo dessa semana, e forçou...
Security Report | Destaques

Problemas técnicos causam perda de dados de 39 mil chaves Pix da 99Pay

Incidente ocorrido entre 26 de junho e 2 de julho desse ano foi revelado pelo próprio Banco Central do Brasil...