Security Leaders: Por uma Segurança mais Humana

Após dez anos de sucesso, o Congresso de Segurança da Informação foca no pilar mais importante da tríade: Pessoas. Mas sem esquecer dos processos de privacidade e proteção de dados em ano de LGPD, e tecnologia, com discussões profundas sobre o pilar mais estratégico com aplicações de Machine Learning, Inteligência Artificial, Criptografia e Zero Trust

Compartilhar:

Segurança é uma preocupação intrínseca a todo e qualquer processo executado pelo ser humano, do momento em que ele nasce até quando toma consciência das interações e informações compartilhadas em todo lugar, do online ao offline. O papel que o universo cibernético exige atualmente é que empresas e pessoas cuidem dos dados sensíveis e entendam a importância de temas como privacidade, ética, experiência e proteção.

 

Mas a busca de hoje é falar de pessoas e como o fator humano é a fortaleza, e ao mesmo tempo, o ponto fraco da Segurança. Neste ano, a 11ª edição do Congresso Security Leaders, que será realizado nos dias 16 e 17 de junho, traz como tema central o elemento humano na segurança. Já é conhecimento de todos que a tríade Tecnologia, Processos e Pessoas nunca fez tanto sentido, mas em ano de LGPD, o pilar pessoas fala mais alto. E quando se fala em tecnologia olhando para o fator humano, os debates sobre aplicações de Machine Learning, Inteligência Artificial, Criptografia e Zero Trust estão no centro de qualquer estratégia que priorize a Segurança.

 

Fazer da segurança um processo focado no fator humano, do usuário ao CISO, do cliente ao provedor de tecnologia, do consumidor ao criador das leis e regulações. A preocupação com a peça mais importante de todo este processo é cultural e o papel do Security Leaders é disseminar esse conceito, de que privacidade, ética, experiência, proteção, prevenção, responsabilidade, políticas, entre tantas outas demandas, dependo do ser humano.

 

Como pensar no humano, do ponto de vista do cliente, do usuário, dos líderes e decisores? Como ser o responsável pela segurança dos processos sem esquecer do aspecto humano? Como garantir uma experiência fluente sem perder espaço para processos seguros e com garantia de privacidade? Como nos prevenir dos ataques e novas ameaças sem esquecer da necessidade de manter e cativar audiência e clientes? Como convergir tecnologias, estratégias de negócios e segurança em um cenário exponencial?

 

Estas questões serão discutidas, expandidas e exploradas durante os dois dias de Congresso. O Hotel Transamérica, mesmo espaço em que o evento foi realizado na edição de 2019, será o palco de palestras, debates, mesas redondas e atividades de negócio.

 

O evento contará com experts de vários países, usuários de variadas indústrias, especialistas de segurança, direito, tecnologia, marketing, desenvolvimento de produtos e experiência do cliente, além de muita gente que precisa aprender e tem algo a ensinar também.

 

Os conceitos sobre Segurança da Informação nunca mais serão os mesmos depois dos dois dias de debates e reflexões. As inscrições serão abertas na próxima semana.

 

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

Apagão Cibernético traz lição sobre vulnerabilidade da cadeia global

A crise desencadeada pela falha na atualização do ambiente CrowdStrike mostrou como a hiperdependência de sistemas digitais pode levar a...
Security Report | Destaques

Falha em ambiente CrowdStrike provoca apagão cibernético

Diversas organizações ao redor do mundo, incluindo Linhas Aéreas, Instituições financeiras e varejistas enfrentam uma pane geral em seus sistemas....
Security Report | Destaques

SESC MG aprimora estratégia de segurança cibernética

Em parceria com a Lumu Technologies, a instituição tinha como demanda melhorar as diretrizes de Cibersegurança, superando os desafios de...
Security Report | Destaques

Procon-SP abre investigação sobre vazamento de dados na Netshoes

Devido a um incidente cibernético contra seus sistemas internos, o e-commerce de artigos esportivos alertou o mercado na última quarta-feira...