Relatório orienta blindagem do e-commerce brasileiro contra fraudes na Back Friday

Alerta vem à esteira de análises internas desse tipo de fraudes para a temporada alta de vendas de 2023. Já foram identificados 61% mais fraudes com o uso de robôs automatizados no primeiro trimestre, segundo pesquisa

Compartilhar:

O comércio eletrônico brasileiro deve estar atento aos ataques com uso de robôs automatizados durante os próximos meses, dois dos mais importantes para e-commerce por conta das vendas da Black Friday e do Natal, segundo a Signifyd. Ao analisar os cenários dos meses anteriores, a empresa alerta para a necessidade de atenção com as fraudes originadas por ataques de bots nas próximas semanas de novembro, as mais esperadas pelo comércio eletrônico.



A julgar pelos números de novembro de 2022, no Brasil foram detectadas 92% mais tentativas de fraudes com bots que a média mensal para o mesmo ano. No México, o segundo maior mercado de comércio eletrônico na América Latina e que ocupa o primeiro lugar em fraudes da região, apresentou 86% mais tentativas de fraudes com bots que a média mensal para o país neste ano.



As análises da empresa mostraram que o primeiro trimestre de 2023 teve o maior númeiro de ataques com bots no Brasil até agora. A Signifyd identificou 61% mais fraudes com o uso de robôs automatizados em comparação ao segundo período do ano. Assim, de forma decrescente, o segundo trimestre apresentou 53% mais fraudes com bots do que o terceiro, que apontou menos fraudes em 2023, até o momento.

Além disso, fevereiro foi o mês com mais fraudes de bots no ano no Brasil, seguido de janeiro e maio de 2023. Foram 119% mais fraudes desse tipo na rede da Signifyd do que a média por mês até outubro deste ano. As liquidações pós Natal, o Carnaval e o Dia das Mães aquecem as vendas online e atraem também a atenção dos fraudadores.



“Atualmente, as redes de fraudes contam com profissionais e recursos especializados para desenvolverem infinitas possibilidades de ataques. Os ataques de bots, além de imprevisíveis, acontecem muito rápido e de forma sucessiva, de tal modo que o prejuízo que podem causar pode ser inestimável”, observa Gabriel Vecchia, Diretor Comercial da Signifyd no Brasil.



“Para combater esses ataques e evitar prejuízos, os recursos de proteção utilizados pelos e-commerces devem estar sempre um passo à frente das técnicas utilizadas pelos fraudadores. Se os fraudadores já utilizam tecnologia avançada para cometer fraudes, o e-commerce que não faz o mesmo, certamente estará em desvantagem”, finaliza.



Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

ANPD volta a defender protagonismo na regulamentação da IA

Em evento organizado pela PUC-Rio, a diretora Miriam Wimmer lembrou que a Lei Geral de Proteção de Dados atribui à...
Security Report | Overview

Procuradores do MPF participam de curso sobre combate à Cibercriminalidade

Treinamento teve como objetivo proporcionar novas competências práticas na investigação de crimes cometidos pela internet...
Security Report | Overview

Dark Web: ambiente profundo é o Pré-Sal do Cibercrime de dados?

Da mesma forma que a reserva petrolífera na costa brasileira se tornou essencial à economia de combustíveis fósseis do país,...
Security Report | Overview

42% dos consumidores tiveram contato com ciberataques em mobile

A pesquisa da Appdome ressalta que tanto os próprios usuários quanto pessoas próximas a eles entraram no radar do Cibercrime....