Razões para implementar os tokens nos meios de pagamento

De acordo com Allen Cueli, VP de inovação da Visa, interoperabilidade, segurança, transparência, tempo até o mercado, preparação para o futuro e gestão do ciclo de vida são alguns dos pontos principais para as instituições financeiras utilizarem a tecnologia

Compartilhar:

O cartão de plástico, físico, cairá em desuso em um ritmo drasticamente maior nos próximos anos. Isso não significa que os cartões desaparecerão e, sim, que a funcionalidade do cartão de pagamento será integrada em um número rapidamente crescente de dispositivos conectados e aplicativos.

 

Um dos maiores desafios da indústria de pagamento é proteger as informações do cartão de pagamento, visto que ele reside em uma gama tão grande de locais. A resposta está nos tokens, que formam a base do comércio digital do futuro.

 

E o que é um token? O token é o equivalente digital de um número de conta.

 

Alguns podem dizer, mas se o token é só um número diferente, não seria ele o mesmo que os números de conta virtuais usados nos primórdios do comércio eletrônico? O que o token tem de especial?

 

Os tokens da Visa vêm com funcionalidades importantes que operam nos bastidores, proporcionando um nível de segurança que vai além de um número de conta diferente.

 

Há seis razões principais para as instituições financeiras implantarem os tokens imediatamente: interoperabilidade, segurança, transparência, tempo até o mercado, preparação para o futuro e gestão do ciclo de vida. Vejamos cada uma delas:

 

  1. Interoperabilidade – Os tokens de pagamento da Visa baseiam-se no padrão global EMV, o que os tornam interoperáveis em toda a rede Visa.

 

  1. Segurança – Para que os tokens sejam atribuídos a um dispositivo ou canal, antes os consumidores precisam passar por um processo de identificação (ID&V). Além disso, os tokens têm capacidades de controle de domínio, o que os tornam válidos APENAS nos dispositivos ou canais selecionados. Por exemplo, o meu token do Samsung Pay ou Android Pay só é válido para uso em um Pay específico, não podendo ser usado para fazer pagamentos fora desse Pay. Além disso, cada transação gera um código único chamado criptograma. Se um criminoso capturar seu token, mas não gerar o criptograma, não conseguirá utilizá-lo em transações. Combinados, o ID&V, os controles de domínio e o criptograma ajudam na desvalorização dos dados, tornando-os menos atraentes para os fraudadores.

 

  1. Transparência – Os tokens da Visa são tokens end-to-end, podendo viajar do estabelecimento comercial ao adquirente, passando pela Visa até o emissor. Consequentemente, todos os participantes do ecossistema sabem que estão trabalhando com tokens, o que lhes permite lidar adequadamente com a compensação e liquidação das transações, além de estornos eventuais.

 

  1. Tempo até o mercado – Empresas digitais líderes como Samsung e Android já estão configuradas na Plataforma Visa Tokenization; ou seja, se você quer entrar rapidamente no mercado e aproveitar a vantagem de ser o primeiro a oferecer um novo pagamento móvel, prepare seu sistema para os tokens. Com a migração dos tokens para outros casos de uso, o caminho mais rápido até o mercado será as instituições que já estão configuradas para eles.

 

  1. Preparação para o futuro – No momento, o principal caso de uso dos tokens está relacionado aos pagamentos móveis e os programas Card-on-File (Cartão-em-Arquivo) virão a seguir. Entretanto, no futuro, potencialmente todas as transações serão tokenizadas. Quanto mais cedo você se preparar para a tokenização, mais cedo estará preparado para o futuro.

 

  1. Gestão do ciclo de vida – Os cartões terão de “um-a-muitos” relacionamentos com tokens, o que significa que um único cartão estará associado a múltiplos tokens. Um dos maiores desafios para consumidores e estabelecimentos comerciais é o processo associado à expiração, perda ou roubo de um cartão. É um transtorno. Com os tokens, quando um evento do ciclo de vida do cartão acontece, eles são automaticamente atualizados com as informações do novo cartão. Isso traz fluidez ao processo para os consumidores (acaba a necessidade de atualizar cada cartão em arquivo) e para os estabelecimentos comerciais (acaba de necessidade de readquirir os clientes cujos cartões expiraram), tornando a gestão do ciclo de vida um dos principais benefícios da tokenização.

 

A sua instituição está pronta para lidar com os tokens?

 

* Allen Cueli é VP de inovação da Visa

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Dia da Internet: Phishing e data leak são duas das maiores ameaças ao usuário

Com o desenvolvimento acelerado da tecnologia, a crescente de tentativas de golpes no ambiente online também se torna uma realidade....
Security Report | Overview

Especialistas alertam para novos modelos personalizados de golpe com QR Code

Especialistas da Check Point Software identificaram novos ataques cibernéticos conhecidos por Quishing e explicam como evitar tais golpes...
Security Report | Overview

61% das empresas aumentarão investimento em Cloud Security, segundo relatório

As organizações participantes do estudo estimam que o aumento planejado dos investimentos em segurança na nuvem alcance os 37%, em...
Security Report | Overview

CTIR Gov emite recomendações de enfrentamento ao ransomware Black Basta

Em informe publicado no site oficial da organização, foram trazidas outras informações a respeito do malware, que tem mirado especificamente...