Padrões de cibersegurança são determinantes para a escolha de plataforma de metaverso

Segundo o levantamento, o metaverso impactará fortemente as instituições nos próximos três anos na opinião de 83% dos C-Levels entrevistados no Brasil. No curto prazo, em 12 meses, 79% dos executivos acreditam que o impacto também será alto

Compartilhar:

Os fatores mais importantes para uma organização escolher uma plataforma de metaverso são: padrões de cibersegurança (46%), tecnologias de experiência do usuário sendo implantadas (37%) e custos da plataforma e taxas de comissão (29%). Essas informações foram identificadas no “Global Innovation Report” (GIR), estudo realizado pela FIS

 

Para Filiberto Galarraga, diretor de Negócios Bancários e Meios de Pagamento da FIS para América Latina, as organizações ainda estão analisando o ingresso nesse novo ambiente.  “É um processo novo, experimental, e as empresas estão verificando as contrapartidas”.

 

O metaverso, que é um universo virtual que busca reproduzir a realidade por meio de uma série de dispositivos digitais, impactará fortemente as instituições nos próximos três anos na opinião de 83% dos C-Levels entrevistados no Brasil. No curto prazo, em 12 meses, 79% dos executivos acreditam que o impacto também será alto. Segundo os entrevistados, o metaverso deve proporcionar o fortalecimento das relações com os clientes (47%), geração de receita (34%) e mudança nos modelos de venda e/ou distribuição.

 

A pesquisa também indicou que, em relação a possíveis pontos de barreira para uma maior adoção ao metaverso hoje, e o ponto de maior atenção está relacionado à cibersegurança, com 33% – o maior percentual entre os executivos de todos os nove países pesquisados. Também aparece no mapeamento a falta de habilidades de desenvolvimento interno (31%) e preocupações com moderação de conteúdo, além de padrões comportamentais 27%.

 

Estratégias para o ingresso no metaverso

 

Os executivos entrevistados, vislumbrando a importância dessas grandes inovações, já começaram a se preparar e a montar estratégias para fazer parte deste novo universo virtual. O estudo identificou as três principais linhas a serem seguidas: adoção de novas tecnologias, aumento das habilidades e aumento de investimentos para implementação e desenvolvimento de novas tecnologias. Quase a metade das empresas (49%) pretende adquirir novas tecnologias e 41% delas vão desenvolvê-las. Um total de 28% dos entrevistados afirmou que também planeja lançar produtos ou serviços. O mesmo percentual deve aumentar o orçamento em P&D e procurar parceiros com habilidades tecnológicas.

 

Em três anos, os executivos acreditam que suas empresas estarão envolvidas, por meio do metaverso, nas seguintes atividades: venda de serviços/produtos virtuais (49%), aquisição de novos clientes (44%), pesquisa do cliente (41%) e publicidade, marketing, endossos (41%).

 

A pesquisa foi realizada com executivos seniores de bancos, seguradoras, empresas do mercado de capitais e fintechs em 2022 no Brasil e também na Alemanha, Austrália, Estados Unidos, Hong Kong, índia, Reino Unido Singapura, somando 2 mil entrevistados.

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Ataques cibernéticos mirando OT aumentam em 2023

Em todo o mundo, grupos de ransomware têm intensificado ataques em redes de tecnologia operacional; especialistas alertam sobre medidas de...
Security Report | Overview

Microsoft é novamente a marca mais imitada por phishing

A big tech não está sozinha: pesquisadores da Check Point Software apontam também o Google no topo da lista de...
Security Report | Overview

Pesquisa aponta que 18% do tráfego na Web não é humano

Estudo inédito da CHEQ mostra que anunciantes perdem mais de 4% dos orçamentos de publicidade digital devido a esse cenário....
Security Report | Overview

Segurança Adaptativa é tendência tecnológica para governos em 2024, aponta Gartner

CIOs (Chief Information Officers) ligados à área governamental devem aproveitar essa e outras tendências para expandir seus recursos...