“O futuro da Segurança é MSS”, aposta Unisys

Empresa reitera seu comprometimento com o mercado de Segurança da Informação e investe em serviços gerenciados

Compartilhar:

Durante encontro realizado com jornalistas, em São Paulo, Eduardo Almeida, presidente da Unisys para a América Latina, reiterou o compromisso da companhia com o mercado de Segurança da Informação. Segundo o executivo, a empresa seguirá investindo em serviços gerenciados de segurança.

 

O desafio da Unisys não é pequeno. Considerada uma das gigantes do mundo do mainframe, no passado, a empresa vem trabalhando para se reinventar já há algum tempo. Hoje ela quer ser reconhecida principalmente como um player forte na área de Segurança da Informação, justamente buscando oferecer a expertise de serviços, área em que se debruçou nos últimos anos. De qualquer forma, não será nada fácil percorrer esse caminho, já que a demanda por serviços de segurança ainda anda a passos lentos no Brasil.

 

Mauricio Cataneo, CFO Latam da Unisys, concorda que esse tipo de serviço ainda está pegando tração no mercado brasileiro, mas aposta que ele vai engrenar nos próximos anos. E a estratégia da Unisys é justamente aprimorar esse modelo de serviço e estar pronta para se destacar no mercado de segurança quando chegar a hora.  “As empresas estão com as suas estruturas montadas, mas chegará um momento em que terão uma parte dentro de casa e outra fora”, acredita ele.

 

Uma das bases dessa aposta da companhia é a pesquisa Unisys Security Index, lançada em 2007 para acompanhar a evolução do tema ao redor do mundo. O índice reforça a mudança de atitudes ao longo do tempo, especialmente em Segurança Nacional, Financeira, na Internet e pessoal. Nesse ano especificamente, o Brasil apresenta elevados níveis de preocupação com o assunto, quando comparado à edição anterior da pesquisa em 2014.

 

A oferta da Unisys na área de serviços de segurança está baseada em sua principal plataforma, a Stealth. Segundo Cataneo, essa solução de cybersecurity oferece uma nova camada de automação, gerenciamento e inteligência sobre a infraestrutura de segurança perimetral. A plataforma engloba algumas soluções adquiridas pela empresa por meio de aquisições realizadas nos últimos anos. Além disso, a Unisys conta também com a oferta de uma plataforma de SIEM por meio da parceria com a LogRhythm.

 

Segundo Cataneo, a maior parte dos negócios hoje na plataforma Stealth ainda é realizada por meio de licenciamento, mas ele reafirma sua crença de que esse cenário tende a mudar. Um dos principais diferenciais desse sistema é a capacidade de detecção com metodologia dinâmica de microssegmentação que permite colocar um sistema comprometido em uma rede especial de quarentena, evitando que a contaminação se espalhe. A ideia é justamente que o Stealth seja identificado como um software que fica um degrau acima da segurança tradicional, facilitando a visibilidade da rede.

 

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

AT&T comunica acesso indevido aos dados dos clientes

Registros de chamadas telefônicas e mensagens de texto de quase todos os clientes foram baixados ilegalmente. Em nota, a companhia...
Security Report | Destaques

“Transparência é o fator-chave da relação entre SI e empresa”, afirma Gil Vega, CISO da Veeam

O atual líder de Segurança da Informação da vendor falou com exclusividade à Security Report sobre sua trajetória em diversos...
Security Report | Destaques

BRASPRESS retoma funcionamento do site oficial após ataque de ransomware

Incidente que causou a parada de diversos sistemas operacionais da companhia se deu ainda no começo dessa semana, e forçou...
Security Report | Destaques

Problemas técnicos causam perda de dados de 39 mil chaves Pix da 99Pay

Incidente ocorrido entre 26 de junho e 2 de julho desse ano foi revelado pelo próprio Banco Central do Brasil...