Número de vulnerabilidade de SI é o mais alto em cinco anos

Relatório elaborado pela Dimension Data mostra que as causas desse avanço é a alta taxa de atualização de equipamentos de rede conforme empresas adotam mobilidade, IoT e estratégias de redes definidas por software

Compartilhar:

De acordo com o Relatório Barômetro de Rede da Dimension Data, o número de empresas com pelo menos uma vulnerabilidade de segurança é o mais alto em cinco anos. A causa desse avanço é a alta taxa de atualização de equipamentos sendo realizada mais cedo do que os ciclos de vida, principalmente devido a ajustes negligenciados.

 

O levantamento aponta que as empresas no mundo todo estão renovando seus equipamentos de rede para adotar mobilidade no local de trabalho, internet das coisas e estratégias de redes definidas por software. Dos 97 mil dispositivos de rede que a Dimension Data descobriu, o número de equipamentos com pelo menos uma vulnerabilidade de segurança conhecida aumentou de 60% no Relatório de 2015, para 76% no Relatório de 2016.

 

“Desde 2010, as redes estão envelhecendo. O relatório deste ano inverte essa tendência e pela primeira vez em cinco anos, vemos as redes envelhecerem mais devagar”, aponta Andre van Schalkwyk, gerente sênior de práticas consultivas da Unidade de Networking da Dimension Data.

 

Segundo o especialista, redes envelhecendo não são necessariamente uma coisa ruim, as empresas só precisam entender as implicações disso. “Elas exigem uma construção de suporte diferente, com custos que aumentam gradualmente. Por outro lado, isso também significa que as organizações podem atrasar custos de atualização”, disse van Schalkwyk, apontando que redes em envelhecimento não são suscetíveis a suportar iniciativas como redes definidas por software e automação, ou de lidar com volumes de tráfego necessários para colaboração ou nuvem.

 

Na Europa, o aumento de vulnerabilidades de rede tem sido bastante abrupto nos últimos três anos, subindo de 26% em 2014, para 51% em 2015, e atingindo 82% no Relatório de 2016. Vulnerabilidades de rede também aumentaram em organizações no Oriente Médio e na África nos últimos três anos. Na Austrália, 87% dos dispositivos de rede têm pelo menos uma vulnerabilidade conhecida. Na Ásia-Pacífico e nas Américas, as redes são um pouco menos vulneráveis – 49% e 66%, respectivamente, comparados com 61% e 73% na edição anterior do estudo.

 

Van Schalkwyk afirma que os clientes nas Américas devem estar atualizando redes com a nova geração de infraestrutura programável. Na Austrália e Ásia-Pacífico, a atualização de equipamentos ocorreu como parte do redesenho da rede de data center.

 

O Relatório Barômetro de Rede foi compilado a partir da reunião de dados de 300 mil incidentes de serviços registrados em redes de clientes que a Dimension Data suporta. A empresa também realizou 320 avaliações de gerenciamento de ciclo de vida de tecnologia, cobrindo 97 mil dispositivos de rede em organizações de todos os tamanhos e de todos os setores da indústria, em 28 países.

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

Sergio Castanho assume novo cargo no Grupo DPSP

De acordo com o CISO das redes Drogaria São Paulo e Drogaria Pacheco, o desafio agora será pautado na construção...
Security Report | Destaques

Desafios em ascensão: a jornada dos CISOs brasileiros rumo à proteção das APIs

Estudos apontam que a proteção das interfaces de aplicações é uma das principais lacunas no controle da Segurança. Na visão...
Security Report | Destaques

Após 5 dias da ação do FBI, LockBit está de volta com novas estratégias de ciberataque

No sábado (24), o administrador do grupo anunciou retomada dos negócios ilícitos, reconhecendo que os sites foram bloqueados pelas polícias...
Security Report | Destaques

A queda do LockBit na visão dos CISOs

Ricardo Castro, da Clash, e Paulo Condutta, do Ouribank, acreditam que, apesar de ser importante o fato de autoridades internacionais...