[bsa_pro_ad_space id=3 delay=8]

Movimento CyberTech Brasil apresenta programa de inovação para startups de cibersegurança

Idealizado pela Cisco em parceria com o Distrito, Movimento anunciou também um hub digital que traz uma comunidade exclusiva onde os interessados podem se tornar membros por meio de um cadastro gratuito na própria plataforma e têm a oportunidade de ter acesso a encontros, discussões e compartilhamento de experiências

Compartilhar:

A transformação da sociedade por conta das novas tecnologias é tão rápida que, hoje, a quantidade e complexidade das ameaças cibernéticas evoluem a uma velocidade ainda maior. Acreditando que a digitalização sem segurança afeta a sobrevivência dos negócios e que a segurança sem inovação contínua é inócua, o Movimento CyberTech Brasil, iniciativa idealizada pela Cisco em parceria com o Distrito para fomentar o desenvolvimento do ecossistema de inovação na área de segurança digital, apresenta duas ações: o hub digital CyberTech Brasil e o Programa de Inovação Aberta CyberTech para startups e empreendedores do setor de segurança cibernética.

 

Os lançamentos integram o primeiro summit do Movimento CyberTech, realizado nesta quinta-feira (29) de setembro em São Paulo, no formato híbrido, para que organizações públicas e privadas, startups, comunidade e profissionais de tecnologia possam discutir as dificuldades e desafios, além das tendências e visões de futuro ao redor do tema de cibersegurança e inovação no País.

 

Novo hub digital

 

A plataforma CyberTech Brasil é uma ponte facilitadora entre diversos ecossistemas, sejam eles de inovação, negócios, sociedade civil ou comunidades, em prol da união destas esferas para discutir, colaborar e compartilhar informações e conhecimentos relevantes. O hub digital é lançado com o que existe de mais novo em termos de conhecimento, estudos, relatórios, mapas de ataques cibernéticos, além de incentivar um amplo e aberto debate sobre o tema.

 

Além disso, o hub traz uma comunidade exclusiva onde os interessados podem se tornar membros por meio de um cadastro gratuito na própria plataforma e têm a oportunidade de ter acesso a encontros, discussões e compartilhamento de experiências, contribuindo assim para o desenvolvimento do setor e do próprio Movimento CyberTech Brasil.

 

A plataforma reúne ainda agenda de eventos e as últimas iniciativas de inovação para as startups de segurança, além de um banco de talentos para profissionais do setor.

 

Para Rodrigo Uchoa, diretor para Digitalização da Cisco do Brasil, as novas iniciativas do Movimento são um grande incentivo para ampliar a discussão sobre segurança digital e inovação no País. “Os projetos lançados hoje refletem o ambiente agnóstico e agregador do Movimento CyberTech Brasil, que foi criado para ser um indutor de colaboração e integração entre governo, empresas e a sociedade. A infraestrutura de conectividade e a segurança cibernética são dois pilares fundamentais para a digitalização e desenvolvimento econômico e social do país e, por isso, continuamos desenvolvendo e lançando iniciativas como esta para incentivar a discussão e novas ideias, promover o empreendedorismo e a inovação, estimular a colaboração e integração de todos os participantes do ecossistema digital brasileiro”, finaliza Uchoa.

 

Desafio para startups de cibersegurança

 

O Programa de Inovação Aberta CyberTech convida empreendedores e startups de segurança cibernética a tornarem o ecossistema digital mais seguro, projetando soluções que auxiliem CISOs e demais profissionais em suas tomadas de decisões na análise e respostas a ameaças cibernéticas.

 

Com duração de seis meses, o desafio pretende estimular a ideação e desenvolvimento de soluções inovadoras, baseadas no Cisco SecureX, plataforma nativa em nuvem com recursos XDR, que viabiliza a orquestração, integração da infraestrutura de segurança, acelerando a detecção e resposta a incidentes. As startups selecionadas vão receber mentorias de especialistas e acesso ao ecossistema de parceiros e clientes da Cisco, a maior fornecedora de soluções de segurança do mundo.

 

Sob o tema “Threat Hunting & Incident Response” (‘Busca a Ameaças e Resposta a Incidentes’ na tradução livre), as startups consideradas aderentes ao desafio proposto e selecionadas na primeira etapa seguem para a fase de mentoria sobre Tecnologia, Hiring (contratação de talentos) e Growth/Vendas com duração de dois meses, além de poderem utilizar o espaço físico do Cisco Secure Cyber Hub, o primeiro centro de inovação em cibersegurança no País, localizado em São Paulo. Após essa fase, as startups selecionadas participam do Demo Day para apresentarem a evolução de suas soluções e recebem mais um mês de mentoria, seguida por avaliação final dos jurados especialistas do setor.

 

Já Gustavo Araujo, co-fundador e CRO do Distrito, destaca que essas duas novas ações do Movimento favorecem a consolidação de um ecossistema de inovação em cibersegurança no Brasil. “O evento é uma ótima oportunidade para fortalecermos um modelo de negócios que atende startups, corporações e investidores no setor. O avanço da nova economia demanda um avanço também na segurança das informações. São aspectos que andam lado a lado, e se comunicam diretamente com necessidades reais da sociedade”, completa.

 

As inscrições para o Programa de Inovação Aberta CyberTech vão de 29 de setembro a 28 de outubro pela plataforma: https://cybertechbr.org/

 

 

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Cibercriminosos seguem mirando senhas fracas de PMEs na América Latina

Estudo da Kaspersky mostra que mais de 37% das pequenas e médias empresas latino-americanas sofreram alguma violação de cibersegurança nos...
Security Report | Overview

Novas vulnerabilidades críticas são encontradas em sistemas SAP, Cloudflare e WordPress, alerta laboratório

Consultoria Redbelt Security aconselha as empresas a adotarem uma abordagem colaborativa e proativa, adotando melhores práticas, tecnologias de vanguarda e...
Security Report | Overview

Febraban alerta para ligações de criminosos com falsas gravações para aplicar golpes

Como praxe, as organizações financeiras ligam para clientes como forma de confirmar transações consideradas suspeitas, mas jamais pedem dados pessoais...
Security Report | Overview

Ciberameaças às nuvens públicas crescem 93% em 2024, aponta relatório

Malware (41%), phishing (36%) e ransomware (32%) foram os que mais cresceram, atingindo principalmente ativos e armazenamento em Nuvem...