Mobile banking: até que ponto estamos seguros?

Segundo especialistas, a maioria dos bancos transferiu os mesmos mecanismos de proteção dos ambientes desktop para o móvel, porém, este universo tem infraestrutura tecnológica e modelo arquitetural bastante diferente, exigindo implementações técnicas de segurança variadas

Compartilhar:

Por Alexandre Finelli e Jackson Hoepers

Segundo Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2015, 33 milhões de contas bancárias tinham o recurso de mobile banking no ano passado. O uso dos canais digitais no setor segue em consolidação no Brasil, com destaque para a forte expansão registrada no ano anterior pelo mobile banking, que registrou um crescimento de 138%. No entanto, apesar desse aumento significativo de transações financeiras via dispositivos móveis ter repercutido na área de segurança, tudo indica que os padrões adotados ainda deixam a desejar.

Rafael Cividanes, gerente de pré-vendas da Kudelski Security, afirma que as grandes corporações do setor financeiro optaram por implementar os mesmos controles já existentes em ambientes desktop no ambiente móvel, o que não é suficiente. “Se por um lado existia um forte esforço para desenvolvimento e proteção do Internet Banking para desktop, agora os mesmos valores foram replicados para as versões mobile”, explica.

Segundo o especialista, apesar dos controles de segurança serem de certa forma análogos para ambos, o mundo móvel se baseia em infraestrutura tecnológica e modelo arquitetural bastante diferente, exigindo implementações técnicas diversas. “Claro que algumas destas tecnologias dependem de recursos de hardware como, por exemplo, a biometria. Caso o dispositivo móvel não possua o leitor biométrico (hardware), não será possível implementar o controle na camada de software”, pondera.

Roberto Gallo, cientista-chefe e diretor executivo na KRYPTUS, lembra ainda que as aplicações bancárias no ambiente móvel ainda carecem de mecanismos adequados, de suporte a prevenção e monitoramento de fraudes. “Enquanto no mundo desktop temos agentes que permitem um acompanhamento online e integral dos equipamentos de dos usuários, no ambiente móvel este recurso ainda não é amplamente difundido”, explica Gallo. Na opinião dele, a adição deste tipo de mecanismo é importante, pois além de fortalecer a inteligência no backend, pode possuir recursos de proteção ativa, e assim ter melhor tempo de resposta.

Gallo reforça que, conforme mostram diversos estudos, a qualidade geral dos aplicativos é muito longe do ideal. “Alguns bancos têm utilizado tecnologias de ofuscação de código para diminuir a incidência de engenharia reversa por parte de adversário. Trata-se de uma melhoria, porém é apenas um paliativo. Tecnologias e processos de revisão de código, de arquitetura e especial atenção à criptografia devem ser implementadas”, complementa.

O especialista aponta também que a maior parte das plataformas móveis modernas conta com a chamada raiz de confiança em hardware. Se bem empregada, junto de um framework adequado, Gallo explica que esta tecnologia permite um nível de blindagem sem precedentes a tais aplicações, efetivamente impedindo diversos tipos de ataques. “Curiosamente o setor bancário tem sido lento na adoção desta tecnologia tão difundida em outras indústrias, em especial a de proteção de conteúdo”, finaliza.

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

Toyota Brasil apura possível vazamento de documentos internos

Desde o último fim de semana, grupos de threat intel presentes na Dark Web apontaram que a gangue de ransomware...
Security Report | Destaques

Soft skills são próximos passos na evolução da confiança em Cyber, avaliam CISOs

Pesquisa da consultoria Kroll aponta que os gestores corporativos confiam integralmente nas pessoas de Segurança para responder aos riscos Cibernéticos....
Security Report | Destaques

Insegurança cibernética e IA são destaques do Security Leaders em BH

O Congresso será realizado no dia 23 deste mês com discussões pautadas na imaturidade em Cyber Security e o quanto...
Security Report | Destaques

Polícia Civil do DF prende suspeitos de roubar 76 milhões de senhas pessoais e governamentais

De acordo com a corporação, os hackers chegaram a incluir todas as credenciais comprometidas em um banco de dados, visando...