[bsa_pro_ad_space id=3 delay=8]

Ministério Público do MT eleva nível de proteção em infraestrutura de rede

MPMT precisava de uma rede confiável conectando todas as suas promotorias para permitir que os 2.400 funcionários cumprissem efetivamente a missão da organização de servir aos cidadãos de forma eficiente. Após implementação, órgão passou a ter controle dos equipamentos e dispositivos conectados, além de ter visibilidade da rede

Compartilhar:

O Ministério Público do Mato Grosso (MPMT) é a instituição que atua na Justiça do terceiro maior estado brasileiro, que possui uma área de 900.000 quilômetros quadrados. Devido ao seu tamanho e à sua amplitude, a comunicação entre as cidades é um dos maiores desafios para o MPMT, que tem suas comarcas principais em Cuiabá, capital do estado, e mantém outras 75 promotorias de Justiça em cidades do interior. Algumas delas estão localizadas no meio da floresta tropical amazônica.

 

Neste cenário difícil, a infraestrutura de rede e a segurança da informação do MPMT não atendiam às demandas. Em algumas cidades pequenas, a conexão à Internet mal funcionava. Não havia uma rede ligando todos os sites e nem controle da rede. Se a equipe de TI instalasse um software de antivírus, eles tinham que torcer para que funcionasse, pois não havia métodos para rastrear o que estava acontecendo.

 

O MPMT precisava de uma rede confiável conectando todas as suas promotorias para permitir que os 2.400 funcionários cumprissem efetivamente a missão da organização de servir aos cidadãos de forma eficiente. Além disso, o MPMT queria garantir a máxima segurança em todas as suas comunicações. Isso é crucial, pois
os promotores usam estas redes para atuar em ações penais, inquéritos policiais, dentre outras persecuções penais.

 

A entidade também precisava de uma tecnologia que a aproximasse dos cidadãos. O MPMT atendia os usuários em minutos na capital do estado, e queria fazer o
mesmo para aqueles que viviam em locais distantes.

 

Após a realização de um processo de licitação pública, o MPMT foi atendido com a plataforma Fortinet Security Fabric para estabelecer uma rede segura e confiável e que hoje conecta todas as suas comarcas. “A Fortinet é um parceiro tecnológico que não só nos permite ter soluções direcionadas de segurança e comunicação, mas também nos ajuda a melhorar o funcionamento das áreas mais importantes da instituição”, diz Pedro Henrique Cavalcante, gerente de Redes e Segurança da Informação do MPMT

 

Comunicações consolidadas e infraestrutura de segurança

 

Para começar, o MPMT implementou o FortiGate Next-Generation Firewall (NGFW) em todas as suas comarcas no estado. A tecnologia permitiu que a equipe de
TI da comarca da capital se comunicasse, de forma direta, segura e estável, com qualquer promotoria de Justiça, mesmo aquelas em locais muito remotos.
A convergência entre segurança de rede e comunicações foi possibilitada pela solução Fortinet Secure SD-WAN. Esta solução baseada no FortiGate NGFW agora
suporta comunicações entre escritórios, permitindo o balanceamento automático do tráfego entre links redundantes, de modo que as conexões nunca se percam.
As promotorias do Ministério Público têm acesso a uma conexão VPN fechada com o FortiGate da capital, que proporciona segurança para todo o fluxo de informações.

 

Com o FortiManager, o MPMT acrescentou controle completo dos equipamentos e dispositivos conectados, além de ter visibilidade total da rede e poder gerenciar melhor sua infraestrutura, impedindo a instalação de aplicações não autorizadas e o acesso a conteúdo restrito. A instituição pode agora implementar políticas de segurança a partir de um único ponto para proteger os dados, estabelecer regras e equilibrar os recursos da rede para atender às exigências do negócio.

 

O MPMT também passou por uma importante revisão em seu suporte e administração de rede. Antes da Fortinet, o apoio às comarcas do interior do
estado de Mato Grosso era fornecido via telefone, o que tornava impossível monitorar o que estava acontecendo. Hoje, como todos os sites estão ligados
sob a mesma plataforma através dos firewalls FortiGate, o acesso a qualquer computador é fácil e instantâneo.

 

A segurança da rede também é mais forte com o FortiAnalyzer como parte da plataforma Fortinet Security Fabric do MPMT. A organização estima receber cerca de 150 milhões de ataques por mês. O FortiAnalyzer fornece uma visão geral consolidada da rede, enviando alertas em tempo real para o time de segurança de rede do MPMT. Isto permite à equipe descobrir, investigar e responder a incidentes de segurança mais rapidamente – mesmo quando eles estão acontecendo. “A Fortinet nos dá mais poder sobre o que está circulando na rede, enquanto aumenta o controle de nossos dispositivos. Isso é crítico para a instituição”, observa Cavalcante.

 

O FortiManager e o FortiAnalyzer reúnem um único painel de vidro para toda a visibilidade e gerenciamento de rede e segurança. Outra solução mantida pelo MPMT para obter proteção avançada contra ameaças é o FortiSandbox, que analisa e bloqueia os comportamentos anômalos encontrados na rede caso sejam classificados como ameaças, garantindo a proteção mesmo em ataques de dia zero.

 

Com a ajuda da Network Secure, parceiro local da Fortinet, o processo de implantação da plataforma de segurança e comunicação foi concluído em menos de três meses, com uma experiência perfeita para os usuários, que não sofreram interrupções de serviço durante todo o processo.

 

Segurança aprimorada que se adapta às necessidades das instituições públicas

 

Além dos usuários internos, o MPMT teve que considerar os usuários externos que acessam os recursos da instituição por meio do portal do Sistema Integrado do Ministério Público (SIMP). O SIMP é um espaço on-line que conecta os usuários a aplicações web com dados sensíveis e confidenciais dos processos judiciais.

 

O SIMP costumava ser acessado localmente nas comarcas do MPMT, pois a equipe de TI não confiava o suficiente na segurança da solução instalada anteriormente para levá-la à Internet. Entretanto, a pandemia forçou a entidade a publicar o SIMP na web, pois os processos não pararam e os promotores começaram a trabalhar em casa. Para garantir que a informação não caísse em mãos erradas, o MPMT acrescentou o FortiWeb como parte do Fortinet Security Fabric. O FortiWeb é um firewall para aplicações web que protege o SIMP e o site do MPMT contra ataques. “O FortiWeb nos ajuda a mitigar múltiplas vulnerabilidades e operar sem problemas”, enfatiza Cavalcante.

 

O hardware do MPMT também recebeu upgrades de segurança. Como parte do processo de modernização, a instituição adquiriu cerca de 400 laptops para procuradores e promotores de Justiça. A instituição adquiriu a ferramenta FortiClient para manter os dados dos novos computadores seguros através de uma VPN que os protege contra ataques de malware. Os funcionários fazem login com suas credenciais de usuário da rede e iniciam automaticamente a conexão VPN. “Temos o controle do conteúdo e dos dispositivos, não importa de onde a pessoa se conecte. O tráfego da Internet passa por nossa infraestrutura segura com as soluções Fortinet”, acrescenta Cavalcante.

 

As soluções do Fortinet Security Fabric permitiram ao MPMT estabelecer uma plataforma segura, confiável e altamente disponível. A conectividade estável tem sido essencial, garantindo o acesso às aplicações e à Internet a partir de qualquer parte da instituição. Além disso, as ferramentas Fortinet fornecem o tipo de segurança que mantém a infraestrutura do MPMT protegida contra ameaças

 

O MPMT está agora estudando a implementação de soluções adicionais da Fortinet. O objetivo é fortalecer ainda mais a plataforma para atender às crescentes demandas de segurança e conectividade necessárias para o setor judiciário. “Vemos um impacto positivo em toda a organização graças às soluções Fortinet. Elas nos permitem oferecer nossos serviços de forma otimizada, segura, autônoma e eficaz. Temos os nossos usuários de comarcas distantes agora mais próximos de nós. Da mesma forma, temos maior controle e gestão de nossa infraestrutura e dispositivos. Com relação à segurança, hoje ela está garantida”, conclui Cavalcante.

 

 

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

O Burnout Silencioso dos CISOs (Chief Information Security Officers)

Cada vez mais pesquisas de instituições relevantes apontam um processo acentuado de exaustão por parte dos Líderes de Segurança em...
Security Report | Destaques

AWS: Descentralização permite priorizar cultura de Segurança nas empresas

O representante de Segurança Cibernética da Amazon Web Services na América Latina, Marcello Zillo, conversou com jornalistas durante o re:Inforce...
Security Report | Destaques

Deputados do Partido Liberal são alvos de hacktivismo nas redes

No último fim de semana, membros da bancada do partido na Câmara tiveram sites oficiais e contas nas redes sociais...
Security Report | Destaques

73% das violações no mundo ocorreram por ransomware, alerta SEK

Baseada nos números gerados pelos mais de um milhão de alertas no SOC da companhia, o estudo Think Ahead Report...