Kaspersky rebate alerta sobre ser uma ameaça à segurança nacional dos Estados Unidos

A Comissão Federal de Comunicações listou a companhia como uma ameaça à segurança dos norte-americanos. Em nota, a empresa afirmou que a decisão não está baseada em qualquer avaliação técnica de seus produtos, mas sim no âmbito político

Compartilhar:

A FCC (Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos) adicionou na última sexta-feira (25) a Kaspersky em sua lista de equipamentos de comunicação e provedores de serviços considerados como uma ameaça aos cidadãos norte-americanos. No ano passado, a Comissão designou outras cinco empresas chinesas, incluindo Huawei Technologies e ZTE Corp. A Kaspersky é a primeira empresa russa listada como uma ameaça para a segurança nacional, na qual não poderá receber qualquer tipo de financiamento do FCC.

 

Brendan Carr, Comissário da FCC, comenta que as novas designações “ajudarão a proteger nossas redes de ameaças representadas por entidades apoiadas pelo Estado chinês e russo que buscam se envolver em espionagem e prejudicar os interesses dos Estados Unidos”.

 

Ao nomear a Kaspersky, o anúncio da FCC não citou a invasão da Ucrânia pela Rússia ou alertas recentes do presidente Joe Biden sobre potenciais ataques cibernéticos vindos da Rússia em resposta às sanções dos EUA e ao apoio à Ucrânia.

 

Em comunicado enviado para a redação da Security Report, a Kaspersky comenta que está desapontada com a decisão da FCC de proibir o uso dos subsídios federais para o segmento de telecomunicações em possíveis compras de produtos ou serviços da companhia. Em nota, a empresa ressaltou que a decisão não está baseada em qualquer avaliação técnica dos produtos Kaspersky, mas que foi feita no âmbito político. A companhia afirma ainda que não existem evidências para justificar tais ações.

 

A Security Report disponibiliza o posicionamento da Kaspersky na íntegra:

 

“A Kaspersky está desapontada com a decisão da Comissão Federal de Comunicações (FCC) de proibir o uso dos subsídios federais para o segmento de telecomunicações em possíveis compras de produtos ou serviços da Kaspersky. Esta decisão não está baseada em qualquer avaliação técnica dos produtos Kaspersky – critério que a empresa defende continuamente – mas foi feita no âmbito político.

 

A Kaspersky reafirma que a decisão do governo dos EUA em 2017 de proibir entidades e contratantes federais de usar os produtos da Kaspersky é inconstitucional, baseado em alegações infundadas e sem qualquer evidência pública que comprove a suposta irregularidade da empresa.

 

Como não existem evidências para justificar as ações de 2017 e o anúncio do FCC refere-se especificamente à determinação do Departamento de Segurança Doméstica de 2017 para sustentar a recente decisão, a Kaspersky acredita que a extensão da proibição a entidades que recebem os subsídios de telecomunicações da FCC é igualmente infundada e uma reação ao contexto político – em vez de ser realizada uma avaliação da integridade dos produtos e serviços da Kaspersky.

 

A Kaspersky reassegura aos parceiros e clientes a qualidade e integridade de seus produtos, e continua à disposição para cooperar com as agências governamentais dos EUA no esclarecimento às preocupações da FCC e de qualquer outra agência reguladora.

 

A Kaspersky oferece produtos e serviços líderes de mercado a clientes ao redor do mundo para protegê-los de todos os tipos de ciberameaças e já deixou claro que não tem laços com nenhum governo, incluindo a Rússia. A empresa acredita que a transparência e a implementação contínua de medidas para demonstrar seu compromisso de longo prazo com a integridade e a confiança para com seus clientes são primordiais.”

 

*Com informações da Agência Reuters 

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

Toyota Brasil apura possível vazamento de documentos internos

Desde o último fim de semana, grupos de threat intel presentes na Dark Web apontaram que a gangue de ransomware...
Security Report | Destaques

Soft skills são próximos passos na evolução da confiança em Cyber, avaliam CISOs

Pesquisa da consultoria Kroll aponta que os gestores corporativos confiam integralmente nas pessoas de Segurança para responder aos riscos Cibernéticos....
Security Report | Destaques

Insegurança cibernética e IA são destaques do Security Leaders em BH

O Congresso será realizado no dia 23 deste mês com discussões pautadas na imaturidade em Cyber Security e o quanto...
Security Report | Destaques

Polícia Civil do DF prende suspeitos de roubar 76 milhões de senhas pessoais e governamentais

De acordo com a corporação, os hackers chegaram a incluir todas as credenciais comprometidas em um banco de dados, visando...