Governos e serviços públicos apresentam vulnerabilidades na proteção de dados

Compartilhar:

Brasil é um dos onze países participantes do levantamento

A Arcserve lançou hoje novo segmento de sua Pesquisa Global anual feita de forma independente. Desta vez o foco é a abordagem e as experiências dos departamentos de TI dos Governos com ransomware e as medidas tomadas para a recuperação de dados. Os resultados revelam diversas vulnerabilidades:

As principais conclusões:

– 36% dos departamentos de TI governamentais não têm um plano de recuperação de desastres documentado.

– Apenas 38% dos departamentos de TI governamentais têm um plano abrangente de continuidade de negócios que inclui recuperação, soluções provisórias e comunicação.

– 24% dos funcionários públicos remotos não estão equipados com soluções de backup e recuperação.

– 45% dos departamentos de TI do Governo acreditam erroneamente que não é sua responsabilidade recuperar dados e aplicativos em nuvens públicas.

– 33% das organizações governamentais exigem mais de um dia para se recuperar de perda de dados grave, apesar de 82% relatarem que menos de um dia é um nível aceitável de tempo de inatividade para sistemas críticos.

– Apenas 34% estão muito confiantes na capacidade de sua equipe de TI de recuperar todos os dados perdidos no caso de um ataque de ransomware.

Na análise de Patrick Tournoy, vice-presidente executivo de operações da Arcserve, “é como baixar a guarda para um duplo golpe de nocaute. As lacunas na proteção de trabalhadores remotos, aplicativos e dados baseados em nuvem criam o cenário ideal para agentes mal-intencionados e ransomware. Por outro lado, não ter planos de recuperação documentados e testados deixa uma organização mais vulnerável e mal equipada para recuperar dados.” 

No topo da lista de ações sugeridas pela Arcserve para os departamentos de TI governamentais está conferir total prioridade à proteção de dados e à recuperação rápida, seguindo três etapas principais: desenvolver e testar regularmente um plano de recuperação de desastres; implementar a estratégia avançada de backup 3-2-1-1 para se proteger contra ransomware e utilizar armazenamento imutável para evitar a alteração de dados.

A pesquisa foi realizada pela Dimensional Research com 1.121 tomadores de decisão de TI c. Todos os participantes tinham uma responsabilidade de tomada de decisão técnica ou orçamentária para soluções de gerenciamento, proteção de dados e armazenamento de dados em uma empresa com 100 a 2.500 funcionários e pelo menos 5 TB de dados. A pesquisa foi realizada na Austrália, Nova Zelândia, Brasil, França, Alemanha, Índia, Japão, Coreia, Reino Unido, Estados Unidos e Canadá (América do Norte).


Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

ChatGPT integrado pode auxiliar na governança e conformidade de dados?

Netskope ampliou o gerenciamento de riscos ao compliance do chatbot da OpenAI com controles de API visando controlar dados confidenciais
Security Report | Overview

Telecomunicações não foram afetadas por Apagão Cibernético, diz Anatel

Para o órgão de fiscalização, o evento ilustra que, à medida que os diversos setores econômicos passaram por transformação digital,...
Security Report | Overview

Pesquisadores identificam ataque de controle de contas direcionado a organizações brasileiras

Os especialistas da Proofpoint indicaram que o agente hostil usa, desde junho, a criação de regras de caixa de e-mail...
Security Report | Overview

Azul e Visa formam parceria para reduzir fraudes em e-commerce

Iniciativa tem o objetivo de permitir uma experiência de aprovação de compra segura e confiável para os Clientes da companhia