Gestão de certificados digitais leva Segurança à indústria

Com dispositivo criptográfico HSM, setor agiliza processos e garante a segurança das assinaturas e autenticações

Compartilhar:

A emissão de certificados digitais se tornou um recurso fundamental para a operação das organizações no ambiente virtualizado, fornecendo autenticação de identidade, assinatura digital, criptografia, segurança da comunicação, conformidade com regulamentações e confidencialidade e integridade de dados em transações eletrônicas. Segundo projeção da ICP-Brasil, os certificados digitais emitidos no país devem ultrapassar a marca de nove milhões até o fim deste ano.

A falta de controle na emissão de certificados representa um risco significativo para a maioria das grandes empresas, pois a ausência de um registro efetivo das atividades realizadas com esses certificados pode abrir caminho para fraudes. Por isso, setores que trabalham com grande volume de emissões – caso da indústria – cada vez mais recorrem à gestão centralizada a fim de simplificar e padronizar os processos de emissão e administração de certificados com segurança.

“A gestão centralizada vem para atender a uma série de necessidades do setor e, por ser uma solução escalável e flexível, pode ser implementada em diferentes plataformas e sistemas, trazendo segurança, conformidade e eficiência, independentemente do porte ou segmento da indústria”, explica Willian Oliveira, líder de pré-vendas da Kryptus, multinacional brasileira de soluções de criptografia e segurança cibernética.

Alguns exemplos de como a gestão centralizada de certificados digitais pode suprir demandas específicas da indústria:


Cadeia de suprimentos: permite a comunicação segura e autenticada entre múltiplos fornecedores, parceiros e clientes, garantindo a integridade dos dados transmitidos e reduzindo os riscos de fraudes ou interceptações maliciosas;



Auditoria e conformidade: fornece um registro centralizado e auditável de todos os certificados emitidos, renovados e revogados, facilitando a conformidade com as mais diversas regulamentações e normas setoriais;



Proteção de propriedade intelectual: garante a autenticidade e a confidencialidade de informações relacionadas a projetos, patentes e segredos comerciais, protegendo-as contra acessos não autorizados e evitando espionagem industrial;



Automação industrial: assegura que apenas dispositivos autorizados possam se comunicar e interagir, sendo fundamental no contexto de indústria 4.0, que ocorre dentro de um ambiente totalmente interconectado, onde são adotadas tecnologias como Internet das Coisas (IoT), big data, inteligência artificial e machine learning.

A gestão centralizada de certificados digitais pode ser realizada por meio de um módulo de Segurança de hardware (HSM) devidamente homologado pelo ITI. O HSM funciona basicamente como um cofre de certificados digitais, garantindo a inviolabilidade do processamento e armazenamento das chaves criptográficas, que podem ser acessadas e gerenciadas remotamente sem risco de adulteração. Com o HSM, é possível emitir e administrar certificados digitais de forma centralizada a partir de sua própria Autoridade Certificadora.

Oliveira ressalta que, por meio de uma gestão centralizada, a empresa consegue determinar não apenas quem pode usar o certificado digital, mas também onde ele poderá ser usado. “Por exemplo, o setor jurídico pode fazer procurações, mas não terá acesso para emitir notas fiscais ou acessar informações bancárias. Isso garante a rastreabilidade das atividades realizadas com o certificado digital da empresa, proporcionando maior segurança e compliance para as indústrias e grandes companhias”, conclui.


Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Anatel emite ofícios às Big Techs sobre Cibersegurança em Inteligência Artificial

Os documentos têm o objetivo de iniciar uma discussão institucional com essas empresas de tecnologia sobre os riscos de cibersegurança...
Security Report | Overview

Precisamos falar sobre a tecnologia obsoleta em Cibersegurança?

O controle de legados em ambientes corporativos está cada vez mais na pauta dos Líderes de Cyber no mundo. Isso...
Security Report | Overview

Ataques iniciados por infostealers ampliam risco de violações secundárias, aponta estudo

Ocorrência recente envolvendo a Snowflake impactou milhões de clientes do banco Santander e da Ticketmaster, entre outras organizações
Security Report | Overview

30% das organizações na América Latina sofreram incidentes de segurança em 2023

Relatório mapeia principais desafios das organizações para aprimorar as práticas de gestão em cibersegurança. O crime é composto por ecossistema...