Deputados do Partido Liberal são alvos de hacktivismo nas redes

No último fim de semana, membros da bancada do partido na Câmara tiveram sites oficiais e contas nas redes sociais invadidas por cibercriminosos. De acordo com suposto autor do ataque, ação teria sido motivada pelo apoio dos parlamentares à Lei do Aborto

Compartilhar:

Durante o último fim de semana, diversos deputados federais, membros da bancada do Partido Liberal (PL), na Câmara, tiveram seus sites oficiais atacados por cibercriminosos. Os invasores cibernéticos buscaram tirar os conteúdos do ar ou mesmo pichar os endereços nas redes com postagens favoráveis ao presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT). Segundo informa o jornal O GLOBO, Entre os parlamentares afetados pela série de incidentes estão Eduardo Bolsonaro (PL-SP), Bia Kicis (PL-DF), Alexandre Ramagem (PL-RJ) e Delegado Paulo Bilynskyj (PL-SP).

 

No site de Bolsonaro, o conteúdo foi completamente retirado, dando lugar a um post da conta oficial de Lula no X, antigo Twitter, pedindo que os usuários seguissem a conta do presidente no Instagram, ilustrado por uma reportagem do próprio GLOBO, informando que o deputado teria curtido uma foto do mandatário na praia. Em contrapartida, o domínio dos outros parlamentares apenas exibia uma mensagem de erro no servidor.

 

Ainda De acordo com O GLOBO, uma conta anônima no X teria assumido a autoria do ataque coordenado, dizendo que o ato hacktivista se devia ao apoio oferecido por esses políticos ao projeto de lei 1904/2024, chamada de “Lei do Aborto” e que equipara a interrupção premeditada da gestação após 22 semanas ao crime de homicídio. A mensagem expõe a lista de portais alvos do ataque direcionado, com a mensagem: “Está Proibido ter site se você pertence bancada do estupro”.

 

Até a publicação dessa nota, os portais seguia fora do ar. O endereço relacionado a Eduardo Bolsonaro também continuava expondo a publicação da postagem descaracterizada. A Security Report tentou contato com os quatro deputados federais, e até o momento, não obteve retorno. A matéria será atualizada tão logo os parlamentares se pronunciem, mas até o momento, apenas Bia Kicis se posicionou sobre o incidente através de suas redes sociais.

 

“Esse é um ataque criminoso de alguém intolerante, que não respeita quem pensa diferente. Já estamos trabalhando para recuperar o site e vamos denunciar os responsáveis por esse ataque cibernético”, afirma a nota da política.

 

*Com informações do jornal O GLOBO

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

ATUALIZADO: Linha do tempo destaca ataques mais recentes

Painel de incidentes foi atualizado com os casos envolvendo a Netshoes, a Usina Alta Mogiana, a ValeCard, a Metalfrio, a...
Security Report | Destaques

Apagão Cibernético: empresas estimam os impactos da crise

CrowdStrike e Microsoft detectaram ainda no fim de semana que ao menos 8,5 milhões de devices foram atingidos pela pane...
Security Report | Destaques

Apagão Cibernético traz lição sobre vulnerabilidade da cadeia global

A crise desencadeada pela falha na atualização do ambiente CrowdStrike mostrou como a hiperdependência de sistemas digitais pode levar a...
Security Report | Destaques

Falha em ambiente CrowdStrike provoca apagão cibernético

Diversas organizações ao redor do mundo, incluindo Linhas Aéreas, Instituições financeiras e varejistas enfrentam uma pane geral em seus sistemas....