Como reforçar a segurança das crianças na Internet

Estudo da Intel Security mostra que adolescentes brasileiros admitem esconder atividades online dos pais e mudar comportamento quando sabem que eles estão vigiando

Compartilhar:

De acordo com o estudo da Intel Security realizado no ano passado, quase metade das crianças e adolescentes brasileiros admitem esconder suas atividades online dos pais (48%) e mudar seu comportamento quando sabem que os pais estão vigiando (33%). Entre as técnicas mais usadas pelas crianças para esconderem o que fazem estão: apagar o histórico do navegador (23%), apagar mensagens (20%), usar um dispositivo móvel em vez de laptop ou desktop (17%) e minimizar o navegador quando adultos estão por perto (16%).

 

Outro dado preocupante é que quase 30% das crianças passam de 2 a 5 horas por dia usando dispositivo móvel em atividades como assistir vídeos (62%), mídias sociais (59%) e trocar mensagens (47%).

 

José Matias Neto, diretor de suporte técnico da Intel Security, comenta que é muito importante que os pais estejam atentos e acompanhem todos os passos das crianças na internet. “Além de ameaças tecnológicas como malwares, existem ameaças muito piores como contato com desconhecidos e mesmo agressões virtuais como o cyberbullying. Muitas vezes os pais acreditam que os filhos sabem mais de tecnologia do que eles próprios e acabam não dando a devida atenção à exposição e ao comportamento que a criança tem no mundo virtual”, explica Matias.

 

Algumas dicas para proteger as crianças na internet:

 

– Conecte com seus filhos. É muito importante falar casualmente e frequentemente com as crianças sobre os riscos on-line, e certificar-se que as linhas de comunicação estejam sempre abertas. Comente sobre notícias relevantes ou casos que tenham acontecido na escola ou com pessoas conhecidas.

 

– Crie regras. Dependendo da idade da criança é importante definir um limite de tempo para jogos e passatempos na Internet. Também é importante usar ferramentas para bloquear o acesso a conteúdos inapropriados para a idade.

 

– Alerte sobre a importância das senhas. Para mostrar amizade e confiança, as crianças podem compartilhar suas senhas de mídia social com amigos ou conhecidos. Amigo ou não, esta é uma prática perigosa e as senhas jamais devem ser compartilhadas.

 

– Leia os comentários dos aplicativos usados pelas crianças. Ao conhecer mais sobre os aplicativos como restrições de idade e comentários de clientes, você estará mais bem preparado para avaliar se um aplicativo pode ser adequado para o seu filho.

 

– Ganhe acesso. Os pais devem ter as senhas para contas de mídia social dos filhos, assim como as senhas dos dispositivos.

 

– Amplie seu conhecimento em tecnologia. Busque informações sobre redes sociais, dispositivos e jogos mais populares.

 

– Crie contas nas redes sociais. Tenha contas nas redes sociais que as crianças usam. Ficar bem informado é uma forma importante para entender como elas funcionam e como as crianças se comportam nesses ambientes.

 

– Fique atento ao cyberbullying. A possibilidade de anonimato com a criação de perfis falsos nas redes sociais pode fazer com que as crianças tenham comportamento cruel e inadequado com outros colegas. Fique atento se a criança não está sendo alvo de bullying virtual ou se ela não o está cometendo.

 

– Instale uma solução de segurança em todos os dispositivos. Mantenha sempre soluções de segurança abrangentes como o McAfee Live Safe TM instaladas e atualizadas em todos os dispositivos usados pelos seus filhos, sejam computadores, tablets ou smartphones. Utilize as ferramentas de controle parental para bloquear sites e aplicativos inadequados e para controlar o que as crianças fazem na internet.

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Mercado

Hotéis na mira do vazamento de dados

Pesquisa da Symantec revela que sites podem vazar suas informações de reserva, permitindo que outras pessoas vejam os dados pessoais...
Security Report | Mercado

Tendências de segurança em Sistemas de Controle Industriais

Análise categoriza e classifica os riscos mais recorrentes após observação empírica; menos um terço dos riscos críticos e de alta...
Security Report | Mercado

Minsait amplia oferta de inteligência e segurança de redes com a Allot

Aliança entre as empresas tem como foco suprir a demanda do mercado de telecom brasileiro por dados analíticos com foco...
Security Report | Mercado

Boldon James lança solução de classificação de dados

OWA Classifier estende o suporte de classificação de dados do Outlook para o Microsoft Office 365