Como proteger smartphones do vírus Gooligan

Baixar e instalar apps de lojas oficiais, usar senhas fortes e estar atento às permissões requisitadas pelos aplicativos são algumas das medidas que podem evitar a perda de informações sensíveis

Compartilhar:

A PSafe alerta usuários de smartphones sobre um vírus que vem se espalhando rapidamente e afetando milhares de pessoas que detém celulares com sistema operacional Android. Conhecido como Gooligan, o malware já foi bloqueado mais de 1 milhão de vezes pela companhia nos últimos quatro meses no Brasil e vem infectando, em média, mais de 13 mil celulares diariamente em todo o mundo.

 

O golpe começa quando o usuário baixa um aplicativo que está infectado, geralmente de lojas não oficiais. Neste momento, o hacker rouba os dados da conta da Google (Gmail) e tem acesso total ao celular da vítima, podendo roubar fotos e arquivos, baixar apps maliciosos, avaliar outros aplicativos e até mesmo clicar em propagandas de forma automática, gerando, assim, receita para os cibercriminosos. Para se ter uma ideia, os cliques automatizados em publicidades realizados por meio desse ataque podem gerar cerca de 320 mil dólares (mais de R$ 1 milhão) de receita por mês para os hackers.

 

Segundo Emilio Simoni, Gerente de Segurança da PSafe, o criminoso responsável pelo ataque desenvolveu uma série de versões diferentes do malware, ao realizar pequenas mudanças no arquivo original, para dificultar o bloqueio por softwares de segurança. “Nós já identificamos mais de 4 mil versões diferentes do mesmo vírus Gooligan”, acrescenta Simoni.

 

Para se proteger desse malware, não basta conhecer as principais armadilhas dos hackers. É preciso estar realmente protegido com um software de segurança capaz de bloquear ataques realizados por um cérebro eletrônico. O PSafe TOTAL, por exemplo, possui tecnologia de segurança avançada que é capaz de identificar o malware e evitar a infecção do aparelho.

 

Além do uso de um antivírus certificado, o usuário pode adotar algumas precauções para evitar os ataques, como baixar e instalar apenas apps disponíveis em lojas oficiais (Google Play); ficar atento às permissões requisitadas pelos aplicativos, observando se estão compatíveis com as necessidades do app; utilizar senhas fortes, que contenham pelo menos 10 caracteres, incluindo letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais.

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Mobile

Mais da metade dos brasileiros não usa senha em smartphones

Pesquisa mostra que 53% dos usuários não protegem seus dispositivos móveis e apenas 21% usam soluções antirroubo; transações bancárias por...
Security Report | Mobile

FakeSpy rouba dados a partir de SMS em smartphones Android

Malware controla remotamente dispositivos infectados e pode servir como vetor para trojan bancário; através de link em mensagem de texto,...
Security Report | Mobile

Falso voucher para a Páscoa afeta usuários em redes sociais

Ameaças disseminadas via WhatsApp e Facebook prometem descontos de até R$ 800 para compra de chocolates em redes varejistas e...
Security Report | Mobile

Hackers aproveitam promoção de varejista para aplicar golpe

Ação de marca de produtos cosméticos daria amostra de creme aos usuários cadastrados; cibercriminosos desenvolveram esquema que sinalava vítimas para...