Como melhorar a segurança e a experiência do usuário ao mesmo tempo?

De acordo com Alessandro Rabelo, diretor executivo de Produtos da Visa do Brasil, inteligência de detecção de fraudes em compras utiliza conexão segura entre dados de estabelecimentos comerciais, redes de pagamento e instituições emissoras para analisar e compartilhar informações

Compartilhar:

O comércio digital é a área em que os pagamentos crescem com mais rapidez, visto que cada vez mais aumenta o número de dispositivos conectados aptos a realizar pagamentos. Os consumidores têm acesso a formas mais disruptivas de pagamento: seja usando um celular, um relógio, uma pulseira ou até mesmo em seu computador. Para se ter uma ideia, existem, hoje, seis bilhões de dispositivos conectados, mas eles ultrapassarão a marca de 20 bilhões nos próximos três anos.  Além disso, vemos também o crescimento de consumidores ativos no comércio eletrônico. Segundo o Score Digital, modelo estatístico desenvolvido pioneiramente no Brasil pela Visa Performance Solutions, mais de 58 mil compras digitais acontecem por hora no país.

 

Nesse cenário, cresce também o desafio do lado dos emissores e dos estabelecimentos comerciais. Quando um consumidor faz uma compra digital, verificar a transação e a identidade desse comprador passa a ser uma atividade cada vez mais importante. Uma pesquisa da Ethoca estima que cinquenta por cento das transações negadas no comércio digital por suspeita de fraude são, na realidade, legítimas.

 

Por isso, é de extrema importância que a indústria continue investindo em novas formas de prevenir fraudes, mas mantenha a qualidade da experiência do usuário que busca praticidade e conveniência nas compras on-line. Temos o compromisso de ajudar emissores e estabelecimentos comerciais a diferenciar as transações “boas” das “ruins”, mas como? Encontramos a resposta no protocolo 3-D Secure 2.0, avanço importante na luta contra as fraudes e para acelerar o comércio digital com uma autenticação rápida e segura.

 

Em poucas palavras: inteligência de detecção de fraude de forma mais eficaz.  Este protocolo existe há anos e cria uma conexão de autenticação de dados entre varejo, estabelecimentos comerciais digitais, redes de pagamento e instituições emissoras para analisar e compartilhar mais inteligência sobre as transações. A nova versão da tecnologia viabiliza um pipeline de informações compartilhadas de forma segura e em tempo real que os estabelecimentos comerciais podem usar para enviar um número inédito de atributos a cada transação e que permite que o emissor autentique a identidade dos portadores de cartões de forma mais precisa, sem solicitar uma senha e token, ou desacelerar o processo de compra no e-commerce.

 

Por falar em senha, testemunharemos a chegada de novas formas de autenticação. Anunciamos recentemente, em parceria com o Banco Neon, por exemplo, a solução de tecnologia que permite a confirmação do consumidor nas compras online por meio de selfie.  E mais ferramentas como essa se juntarão ao 3-D Secure para oferecer aos consumidores finais, emissores e estabelecimentos comerciais soluções seguras ao mesmo tempo que conectadas aos comportamentos digitais.

 

Estamos atentos a essas mudanças e o foco é aumentar o número de autorizações e garantir experiências de pagamento digital fluidas, sem nunca deixar segurança de lado. Essa é a fórmula para trazer ainda mais brasileiros para o mundo digital. Estamos prestes a testemunhar uma revolução de pagamento, resta saber se todos estão preparados para transformar esse momento em oportunidade. Você está?

 

* Alessandro Rabelo é diretor executivo de Produtos da Visa do Brasil

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Mercado

Hotéis na mira do vazamento de dados

Pesquisa da Symantec revela que sites podem vazar suas informações de reserva, permitindo que outras pessoas vejam os dados pessoais...
Security Report | Mercado

Tendências de segurança em Sistemas de Controle Industriais

Análise categoriza e classifica os riscos mais recorrentes após observação empírica; menos um terço dos riscos críticos e de alta...
Security Report | Mercado

Minsait amplia oferta de inteligência e segurança de redes com a Allot

Aliança entre as empresas tem como foco suprir a demanda do mercado de telecom brasileiro por dados analíticos com foco...
Security Report | Mercado

Boldon James lança solução de classificação de dados

OWA Classifier estende o suporte de classificação de dados do Outlook para o Microsoft Office 365