Tentativas de fraude digital no Brasil aumentam 20% no segundo trimestre de 2022

Pesquisa ressalta que o setor de seguros foi o que apresentou a maior taxa de crescimento de suspeita de fraude digital globalmente, enquanto no Brasil o principal alvo foi o segmento de fóruns e aplicativos de relacionamento

Compartilhar:

As tentativas de fraude digital em transações originadas no Brasil aumentaram 20% no período do segundo trimestre de 2022. É o que indica a análise trimestral de fraudes (Quarterly Fraud Trends) da TransUnion. Ali também se observou que a taxa de tentativas de fraude digital em todos os setores diminuiu globalmente em -14% se comparado o segundo trimestre de 2022 com o segundo trimestre de 2021.

 

 

A TransUnion chegou às suas conclusões sobre tentativas de fraude contra empresas com base em bilhões de transações avaliadas em mais de 40 mil sites e aplicativos contidos em seu principal conjunto de soluções de comportamento de risco digital e análise de fraude – TransUnion TruValidate. As porcentagens de tentativas de fraude são aquelas em que as empresas clientes do TruValidate receberam uma recomendação para revisão ou negativa em decorrência do apontamento de indicadores de fraude, em comparação com todas as transações que foram avaliadas por fraude.

 

 

Pelo segundo trimestre consecutivo, a taxa de tentativas de fraude digital global no setor de seguros registrou o maior aumento ano a ano, crescendo 159% na comparação do período de 1º de abril a 30 de junho de 2022 com o mesmo período de 2021. A tendência também foi de crescimento na taxa de tentativa de fraude digital entre 1º de janeiro e 31 de março de 2022 em comparação com o mesmo período de 2021 (+134%).

 

 

Já os segmentos que registraram os maiores declínios nas taxas de suspeitas de fraude digital globalmente do segundo trimestre de 2022, comparado ao segundo trimestre de 2021, incluíram games, viagens & lazer e varejo. A TransUnion observou crescimento global apenas nos setores de seguros e logística durante esse período.

 

 

A fraude em benefício próprio foi a principal fraude realizada no segmento de seguros em todo mundo. Este tipo envolve aplicações fraudulentas contendo informações intencionalmente imprecisas ou manipuladas fornecidas pelo segurado com o objetivo de receber certificação, tarifas mais baixas ou melhores condições para uma apólice/contrato.

 

 

“Observamos tendências preocupantes no primeiro semestre de 2022, com suspeitas de atividades fraudulentas no setor de seguros continuando a aumentar no período”, diz Shai Cohen, Vice-Presidente Sênior de Soluções Globais de Fraude da TransUnion. “Nos últimos anos, notamos fraudadores mudarem seu foco no setor a cada trimestre. Neste momento, acreditamos que o setor de seguros está sendo vítima de ‘fraudes mais leves’ porque alguns consumidores podem estar representando suas apólices incorretamente em um esforço para economizar dinheiro, especialmente em um ambiente de alta inflação que coloca mais pressão em seus bolsos”.

 

 

Suspeita de fraude digital migra para novas indústrias globalmente

Setor Alteração de taxa do segundo trimestre de 2022 em comparação ao segundo trimestre de 2021
Seguros 159%
Logística 13%
Comunidades e sites de relacionamento -8%
Telecomunicações -12%
Serviços financeiros -22%
Varejo -28%
Viagens & lazer -28%
Games -63%

 

 

Tipos de fraudes e os impactos na indústria brasileira

Para transações originárias do Brasil, o setor com maior aumento na taxa de suspeita de fraude digital no segundo trimestre de 2022, em comparação com o mesmo período de 2021, foi de comunidades e sites de relacionamento, que apresentaram aumento de 67%. Paralelamente a esses dados, a TransUnion também observou as maiores quedas na tentativa de fraude no País nos setores de games (-88%), varejo (-48%), viagens e lazer (-45%) e serviços financeiros (-19%).

 

 

Embora o segmento de comunidades e sites de relacionamento tenha sido o único a apresentar aumento no período, os tipos de tentativas de fraude foram diversos. Os principais que os brasileiros relataram em todos os setores no estudo Consumer Pulse do segundo trimestre de 2022 da TransUnion foram cartões de crédito roubados ou cobranças fraudulentas e golpes de cartão-presente.

 

 

Tentativas de fraude digital por setor no Brasil

Setor Alteração de taxa do segundo trimestre de 2022 em comparação ao segundo trimestre de 2021
Comunidades e sites de relacionamento 67%
Logística -4%
Telecomunicações -5%
Serviços financeiros -19%
Viagens & lazer -45%
Varejo -48%
Games -88%

 

 

A fraude digital continua sendo uma constante na vida de muitos consumidores brasileiros. O estudo Consumer Pulse do segundo trimestre de 2022 da TransUnion divulgou que 27% dos brasileiros adultos entrevistados indicaram que foram alvo de fraude digital nos últimos três meses, três pontos percentuais a mais em relação ao estudo do primeiro trimestre de 2022. No estudo do segundo trimestre de 2022, cerca de nove em cada 10 pessoas (85%) indicaram preocupação em compartilhar suas informações pessoais, citando apreensão com privacidade (74%) e medo de terem sua identidade roubada (72%).

 

 

“Com esta análise, conseguimos perceber que as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a sua privacidade e a proteção de seus dados e roubos de identidade, assim, as indústrias vêm investindo cada vez mais em soluções de segurança e, desta forma, evitando fraudes”, ressalta Alexandre dos Reis, Head de Soluções da TransUnion Brasil. “O uso de tecnologia simplificada e soluções de prevenção em várias camadas são alguns destes exemplos e ajudam, de forma prática e eficaz, a construir relações de confiança com clientes e prevenir tentativas de fraude.”

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

CTIR Gov orienta governo a monitorar sistemas de proteção após Apagão Cibernético

Com a identificação do incidente que colheu a plataforma Falcon, da CrowdStrike, e da Microsoft, O órgão de Prevenção a...
Security Report | Overview

Incidentes de TI estão no topo dos riscos para a continuidade dos negócios, aponta pesquisa

1ª Pesquisa Nacional sobre Maturidade em Gestão de Crises e Continuidade de Negócios, apresentada no segundo trimestre deste ano, identifica...
Security Report | Overview

54% das empresas consideram erros humanos um vetor crítico de ciberataques

Estudo da ManageEngine revelou que ameaças externas ainda são a maioria entre os golpes realizados, mas falhas de funcionários preocupam
Security Report | Overview

Apenas 23% das senhas ativas exigem mais de um ano para serem decifradas

Levantamento da Kaspersky analisa 193 milhões de senhas na darknet e indica que 87 milhões delas poderiam ser descobertas em...