Tendência entre CISOs brasileiros é investir e não cortar custos ou demitir, revela relatório

CISO Priorities Flashcard reúne insights de líderes de 208 organizações no país

Compartilhar:

A Lumu lançou hoje o CISO Priorities Flashcard 2023, relatório que analisa as principais prioridades dos líderes de cibersegurança brasileiros para este ano. O levantamento revelou que a automação desempenhará um papel maior à medida que os CISOs buscam investir em novas tecnologias – incluindo IA e aprendizado de máquina – para aumentar a eficiência e a eficácia de seus talentos ao invés de cortar custos.

 

“As empresas estão tendo dificuldade em reter talentos tecnológicos no momento, mas a necessidade de medidas rígidas de cibersegurança é mais importante do que nunca, o que cria um ambiente em que as organizações precisam fazer mais com menos para manter suas redes seguras”, afirma disse Ricardo Villadiego, CEO e fundador da Lumu.

 

“Apesar de estar em um padrão de espera quando se trata de contratar mais funcionários para atender à demanda, as empresas – não importa o tamanho – podem se apoiar na automação para priorizar os esforços de cibersegurança e equipar as equipes atuais com as ferramentas necessárias para detectar e erradicar ameaças em tempo real”, completa Villadiego.

 

Os resultados do Lumu CISO Priorities Flashcard 2023 mostram que os profissionais brasileiros pretendem prestar mais atenção ao abordar os riscos mais pertinentes enfrentados por sua organização, incluindo:

 

  • 96% dos profissionais ouvidos priorizam o gerenciamento de vulnerabilidade baseado em risco
  • 94% dos líderes de cibersegurança estão priorizando a automação da detecção e resposta diante de ameaças
  • 92% priorizam a integração e automação de recursos de TI com tecnologias novas e existentes
  • 92% pretendem implementar ou ampliar os recursos de busca por ameaças
  • 92% objetivam unificar a visibilidade de ameaças em todos os ativos (IoT, contêineres de nuvem, servidores, etc…)
  • 91% têm como alta prioridade identificar ativos comprometidos dentro da rede

 

À medida que os hacks e violações continuam a aumentar, cada camada de defesa é importante para que as organizações tenham uma estratégia holística de cibersegurança. Emergindo desses problemas atuais, 88% dos líderes planejam otimizar o gerenciamento de alertas no SOC, 88% pretendem adotar medição de risco em terceiros ou cadeias de suprimentos, 86% migrar de plataformas de TI desatualizadas para plataformas baseadas em nuvem e 79% planejam adotar uma estratégia de Zero Trust.

 

Este estudo exploratório foi realizado coletando respostas voluntárias de 208 líderes de cibersegurança. Todas as respostas foram coletadas entre 15 de dezembro de 2022 e 10 de janeiro de 2023 de diretores de cibersegurança, CISOs ou funções semelhantes no Brasil.

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Dia da Internet: Phishing e data leak são duas das maiores ameaças ao usuário

Com o desenvolvimento acelerado da tecnologia, a crescente de tentativas de golpes no ambiente online também se torna uma realidade....
Security Report | Overview

Especialistas alertam para novos modelos personalizados de golpe com QR Code

Especialistas da Check Point Software identificaram novos ataques cibernéticos conhecidos por Quishing e explicam como evitar tais golpes...
Security Report | Overview

61% das empresas aumentarão investimento em Cloud Security, segundo relatório

As organizações participantes do estudo estimam que o aumento planejado dos investimentos em segurança na nuvem alcance os 37%, em...
Security Report | Overview

CTIR Gov emite recomendações de enfrentamento ao ransomware Black Basta

Em informe publicado no site oficial da organização, foram trazidas outras informações a respeito do malware, que tem mirado especificamente...