Segurança e Privacidade alinhadas aos negócios

As mudanças trazidas pela pandemia e pela LGPD serão permanentes. As empresas irão adotar um mix de trabalho presencial e remoto mesmo após a pandemia e a estratégia de negócios deverá estar alinhada com a proteção de dados no modelo híbrido. “Esse não é um compliance pontual, será um compromisso eterno”, diz Flávia Mitri, diretora LATAM de privacidade da Uber, na abertura do Security Leaders Sudeste, que acontece hoje (17) no formato online.

O Talk Show com o tema Segurança e Privacidade alinhadas aos negócios. A Resiliência na indústria abriu a programação do evento nesta manhã e reuniu mulheres líderes em suas organizações para falar da sinergia entre segurança, privacidade, negócios e inovação.

Márcia Tosta, Gerente Executiva de Segurança de Informação da Petrobrás, defende uma nova visão para o papel da SI nas empresas, sem engessar o negócio, inserida no contexto do business e atuando com o conceito by design. “Nossa missão é destacar os riscos e alertar as áreas de negócio sobre a importância do entendimento da proteção, inclusive, contando com segurança e privacidade by design, onde esses pilares são pensados e desenvolvidos desde a concepção dos produtos”, acrescenta.

Raquel Cabral, Head de vendas do Google Workspace, concorda e acrescenta a necessidade da integração entre as áreas de tecnologia com as estratégias de negócio. “Segurança e privacidade fazem parte do negócio, uma sinergia que se insere na atual realidade onde compartilhamos cada vez mais informações”, completa.

A resiliência, tema central do Security Leaders em 2021, foi um ponto destacado pelas executivas que participaram do Talk Show comandado pela diretora do evento e da Security Report, Graça Sermoud. Em um cenário descentralizado, unir as equipes de negócio, de privacidade e de Segurança é fundamental para uma atuação mais eficiente em todos os aspectos, principalmente em proteção de dados.

“Não estamos falando apenas da colaboração entre funcionários e clientes, mas também entre quem concebe os negócios e quem os operacionaliza. Mais importante do que saber onde guardamos os dados, é saber como coletar e tratar as informações sensíveis”, diz Márcia Tosta.

Flávia explica que a implantação da LGPD trará a necessidade de as empresas terem um profissional especializado para lidar com o tratamento de dados: “Em algumas empresas, talvez seja possível que uma mesma pessoa acumule as funções de CISO (segurança) e DPO (tratamento de dados)”, completa.

“Estamos nos adaptando à nova realidade e importância de proteger dados pessoais, até porque, muita coisa vai acontecer até o pleno funcionamento da LGPD. Informação é como sangue: não pode vazar, mas só é útil se puder circular livremente”, completa Marcia Tosta.

O Security Leaders terá programação também no dia 18 de junho a partir das 13h30 com cases de sucesso e painéis de debates. A inscrições estão abertas.