Mais de 27 mil tentativas de fraude foram evitadas em fevereiro, diz Serasa

Os dados ainda consideram que, ao longo de seis dias de Carnaval, o valor das perdas financeiras poderia chegar a quase R$ 1 bilhão

Compartilhar:

A Serasa Experian realizou um levantamento inédito sobre tentativas de fraude de identidade para alertar os consumidores sobre os cuidados com dados pessoais no ambiente digital. Os números estimam que, graças às ferramentas de autenticação e prevenção à fraude, 27.630 investidas criminosas podem ser evitadas diariamente em fevereiro, um total de 801.279 até o final do mês. Se efetivadas, as ocorrências causariam perdas financeiras de cerca de R$ 4,5 bilhões para empresas e consumidores.

 

A fraude de identidade funciona assim: criminosos se valem de dados da vítima como CPF, RG, e-mail, fotos e endereço para realizar transações em nome de terceiros, geralmente em instituições financeiras, com o intuito de solicitar empréstimos ou emitir cartões de crédito. Nesses casos, a vítima só toma conhecimento de que teve uma conta aberta em seu nome ou invadida meses depois, quando recebe cobranças que desconhece.

 

“O furto ou roubo de identidade é um tipo de golpe bastante praticado, no qual os prejuízos vão além dos financeiros. Esse tipo de crime pode acarretar a negativação indevida e problemas legais para a vítima sem que ela tenha consciência do uso de seus dados. Ademais, as empresas também ficam expostas a prejuízos não só financeiros, mas também da ordem reputacional e regulatória. Por isso, é essencial que os negócios também invistam na blindagem de seus ambientes com tecnologias atualizadas de prevenção a fraudes, via camadas de proteção”, declara o Diretor de Autenticação e Prevenção à Fraude da Serasa Experian, Caio Rocha.

 

Foliões em alerta: projeção de 165,8 mil tentativas de fraude no Carnaval

 

A diversão do Carnaval deve ser acompanhada de muita atenção. A Serasa Experian estima que, do dia 9 a 14 de fevereiro, devem ser evitadas mais de 165 mil tentativas de fraude de identidade em ambientes protegidos pela Datatech. Caso fossem bem-sucedidas, essas tentativas poderiam gerar um prejuízo da ordem de R$ 928 milhões.

 

“Além da perda de documentos durante as festividades, muitas ofertas atrativas podem surgir na internet no geral. Por isso, os consumidores precisam estar atentos sobre onde compartilham suas informações pessoais para não serem vítimas de roubo de identidade”, alerta Rocha.

 

Como as empresas podem se proteger?

 

“Para evitar fraudes, as empresas precisam ter uma estratégia de autenticação contínua, que combine camadas de proteção em todas as etapas da jornada, garantindo que o consumidor que está realizando uma transação é, realmente, quem diz ser”, complementa Rocha. Além disso, é importante:

 

  • Prezar pela autenticação com a mínima fricção possível na experiência do cliente;
  • Alertar os clientes sobre os golpes comuns no segmento;
  • Proteger suas plataformas de pagamento online;
  • Analisar perfis e comportamentos de consumo com maior índice de risco;
  • Contar com soluções que acompanhem a evolução dos golpes, mantendo o consumidor protegido no processo de prevenção à fraude e combinando tecnologia, dados e inteligência analítica.

 

Como os consumidores podem se proteger?

 

É importante que os consumidores protejam seus dados, mantendo algumas boas práticas em seu dia a dia, como:

 

  • Escolher sites e lojas confiáveis e com boa reputação;
  • Desconfiar de ofertas muito atrativas;
  • Ler avaliações e opiniões sobre o produto e estabelecimentos que nunca interagiu;
  • Ter cuidado com o golpe do brinde e não fazer pagamentos para entregas não solicitadas;
  • Ter cuidado com links compartilhados em grupos de mensagens de redes sociais ou SMS;
  • Cadastrar suas chaves Pix apenas nos canais oficiais dos bancos, como aplicativo bancário, Internet Banking ou agências;
  • Não fornecer senhas ou códigos de acesso fora do site do banco ou do aplicativo;
  • Não emprestar ou vender seus dados;
  • Não fazer transferências para amigos ou parentes sem confirmar por ligação ou pessoalmente que realmente se trata da pessoa em questão, pois o contato da pessoa pode ter sido clonado ou falsificado;
  • Incluir suas informações pessoais e dados de cartão somente se tiver certeza de que se trata de um ambiente seguro;
  • Manter seus devices atualizados;
  • Garantir que seus documentos, celulares e cartões estejam seguros e com senhas fortes para acesso aos aplicativos;
  • Criar senhas seguras e atualizá-las com frequência;
  • Monitorar o seu CPF com frequência para garantir que não foi vítima de fraudes.

 

Conteúdos Relacionados

Security Report | Overview

Ataques cibernéticos crescem cerca de 70% no Brasil em um ano

Os pesquisadores da Check Point Software relatam ainda o maior aumento de ciberataques globais visto nos últimos dois anos, um...
Security Report | Overview

Espiões Cibernéticos respondem pela maioria dos ataques Zero Day, revela análise

Segundo o Google, entre fevereiro de 2020 e março de 2021, foram identificados 11 grupos diferentes explorando 22 vulnerabilidades Zero...
Security Report | Overview

77% dos usuários já tiveram fricção com autenticações por senhas, alerta estudo

Estudo da Unico com o Instituto Locomotiva também informa que 45% desses entrevistados chegaram a enfrentar perdas financeiras. Tais problemas...
Security Report | Overview

Ministério Público Federal entra com ação judicial contra WhatsApp e ANPD

Maior ação judicial da história do Brasil em proteção de dados pessoais tem como base as alterações aplicadas em 2021...