IoT terá adesão em massa, mas segurança ainda preocupa

Estudo internacional revela que usuários têm visto fortes ganhos em inovação e eficiência nos negócios, mas 84% dos entrevistados reportaram uma brecha de segurança relacionada à Internet das Coisas

Compartilhar:

Um novo estudo global, “ A Internet das Coisas: hoje e amanhã”, publicado pela Aruba, uma empresa da Hewlett Packard Enterprise, revela que a IoT irá em breve se disseminar em larga escala.  Segundo a pesquisa, 85% dos negócios pretendem adotar a IoT até 2019, guiados pela necessidade de inovação e de eficiência nos negócios. Embora a análise confirme os claros benefícios dos investimentos em IoT, o relatório  alerta para o fato de que conectar milhares de coisas às atuais redes corporativas já resultou em brechas de segurança para a maioria das organizações.

 

Para realizar a pesquisa foram entrevistados 3.100 tomadores de decisões das áreas de TI e negócios em 20 países, para avaliar o atual estado da IoT e seu impacto em diferentes indústrias. O estudo mostra que, enquanto quase todos os entrevistados (98%) têm ideia do que é IoT, muitos não têm clareza da definição exata de Internet das Coisas e do que ela representa para o mundo dos negócios.

 

Em seu novo eBook “Entendendo a IoT”, o visionário do mundo da tecnologia Kevin Ashton — que criou o termo “Internet das Coisas” — apresenta a seguinte definição:

 

“A ‘Internet das Coisas’ significa sensores conectados à Internet e comportando-se de forma semelhante à Internet ao criar conexões ad hoc abertas, compartilhando dados livremente e permitindo aplicações inesperadas, então os computadores podem entender o mundo ao redor deles e se tornarem o sistema nervoso da humanidade. ”

 

Superação das expectativas

Ao examinar os benefícios da IoT para os negócios, Ashton descobriu que os benefícios para o mundo conseguidos com a IoT superaram inclusive as expectativas originais. Esta “superação de expectativas” se torna evidente em duas áreas essenciais: eficiência dos negócios e lucratividade.

 

Como exemplo, apenas 16% dos líderes de negócios projetaram grandes lucros com seus negócios de IoT. Mas logo após a adoção, 32% dos executivos já reportaram crescimento nos lucros. De forma semelhante, 29% dos executivos esperavam que suas estratégias de IoT resultassem em melhorias na eficiência, enquanto que os resultados atuais mostram que 46% já conseguiram ganhos de eficiência.

 

Chris Kozup, vice-presidente de Marketing da Aruba, comenta: “Com os benefícios da IoT para os negócios superando as expectativas, não é surpresa que o mundo dos negócios siga para a adoção em massa da tecnologia até 2019. Porém, com muitos executivos em dúvida sobre como aplicar a IoT em seus negócios, aqueles que tiveram sucesso na adoção da IoT estão bem posicionados para conquistar uma vantagem competitiva. ”

 

Como as organizações globais estão usando a IoT

 

A pesquisa revela vários níveis de maturidade da IoT em diferentes setores da indústria. As cinco seguintes verticais de indústria são as líderes em adoção da IoT e têm obtido benefícios tangíveis a partir de estudos de casos focados na adoção.

 

Empresas criam um ambiente de trabalho inteligente para produtividade e eficiência:

 

•Mais de sete em dez (72%) das empresas adotaram dispositivos de IoT no ambiente de trabalho. Serviços internos baseados em localização aparecem como o segundo mais promissor uso para aprimorar a produtividade dos empregados, atrás de monitoramento remoto. Vinte por cento reportaram a operação remota de iluminação e controle da temperatura de prédios como o uso principal. Porém, esse número mais que dobra, atingindo 53%, quando a questão é implementações futuras.

 

Ao olhar para os resultados tangíveis realizados, 78% afirmam que a adoção da IoT no ambiente de trabalho aprimorou a eficiência de seu time de TI e 75% apontam crescimento na lucratividade.

 

O setor industrial aumentou a eficiência nos negócios e a visibilidade com o uso da IoT para monitoramento e manutenção.

 

Mais de seis em cada dez entrevistados (62%) do setor industrial responderam que já adotaram IoT. O seu uso para monitorar e manter funções essenciais da indústria foi identificado como o de maior impacto. Atualmente, o uso de câmeras IP de monitoramento para segurança física em indústrias está ainda em sua fase inicial, com apenas 6% tendo adotado essa tecnologia. Contudo, quando questionados sobre futuras adoções, o resultado foi multiplicado por cinco, atingindo 32%.

 

Nesse setor, 83% apontaram o crescimento na eficiência dos negócios e 80% identificaram aumento na visibilidade em toda a organização.

 

Saúde adota IoT para aprimorar o monitoramento de pacientes, reduzindo custo e promovendo a inovação:

 

Surgindo como o terceiro mais avançado setor na adoção da IoT, cerca de 60% das empresas de saúde já implementaram equipamento de IoT em suas unidades.

 

Nessa área, 42% dos executivos apontam como número um em uso de IoT o item monitoramento e manutenção — acima de todos os outros setores. Isso destaca a importância do monitoramento de pacientes por meio da Internet das Coisas na atual indústria de saúde.

 

Oito em dez respondentes apontaram o crescimento na inovação e 73% destacaram o corte de custos.

 

Varejistas promovem o engajamento de consumidores e aumentam as vendas com o uso de tecnologia de localização em ambientes internos

 

Apenas 49% dos varejistas estão usando a tecnologia de IoT, mas 81% dos que já utilizam afirmaram ter aprimorado a experiência de usuário.  Uma experiência de consumidor aprimorada costuma ter um impacto significativo na lealdade do cliente e na receita.

 

Serviços de envio de ofertas personalizadas e de informações de produtos dentro das lojas aos consumidores surgem como a principal adoção da IoT nessa área, junto com monitoramento e manutenção. Quatro em cada dez varejistas colocaram vigilância na lista de   top 3 de casos de uso.

 

Governos estão atrasados na adoção da IoT, lutando com tecnologias legadas e a necessidade de redução de custos:

 

Setor com maior lentidão para adotar a IoT, o governo apresenta apenas 42% dos municípios com o uso de dispositivos e sensores de IoT. Um terço (35%) dos tomadores de decisões de da área de TI reclamam que os executivos nessa área têm pouco conhecimento sobre o que é IoT, o dobro da média, o que sugere que a desinformação é a maior barreira para a adoção em massa no setor.

 

Enquanto quase metade (49%) dos departamentos de TI na área de governo lutam com tecnologias legadas, sete em cada dez usuário de IoT no setor público reportam corte de custos e melhoria na visibilidade organizacional como os maiores benefícios.

 

O contexto de dados e o desafio da segurança

 

Além de retornos positivos, o estudo também revela um número de obstáculos que os líderes de TI acreditam que evitam que a IoT tenha um impacto ainda melhor nos negócios. Em particular, o custo de implementação (50%), manutenção (44%) e integração das tecnologias legadas (43%) são apontados como as principais questões.

 

Ainda mais notadas, as falhas de segurança são encontradas em muitas das implementações de IoT. O estudo aponta que 84% das empresas enfrentaram falhas de segurança relacionadas à IoT. Mais da metade dos respondentes afirma que os ataques externos são a barreira principal à adoção de uma estratégia de IoT. Isto confirma que uma estratégia de segurança de TI holística, criada com um forte controle de acesso à rede e política de gerenciamento, irá não apenas proteger empresas, mas também facilitar o apelo da IoT na área de segurança.

 

A habilidade para capturar e efetivamente utilizar dados é apontada por Kevin Ashton como “o que define a Internet das Coisas”, mas isso aparece como um outro claro desafio para as organizações globais. Embora quase todas (98%) das organizações que já adotaram IoT afirmem que são capazes de analisar as informações, quase todos os respondentes (97%) sentem que há desafios para agregar valor com esses dados. Cerca de um terço (39%) dos negócios não estão extraindo ou analisando as informações coletadas nas redes corporativas, assim estão perdendo a oportunidade de utilizar insights que poderiam aprimorar suas decisões de negócios.

 

Destaques

Colunas & Blogs

Conteúdos Relacionados

Security Report | Destaques

Sergio Castanho assume novo cargo no Grupo DPSP

De acordo com o CISO das redes Drogaria São Paulo e Drogaria Pacheco, o desafio agora será pautado na construção...
Security Report | Destaques

Desafios em ascensão: a jornada dos CISOs brasileiros rumo à proteção das APIs

Estudos apontam que a proteção das interfaces de aplicações é uma das principais lacunas no controle da Segurança. Na visão...
Security Report | Destaques

Após 5 dias da ação do FBI, LockBit está de volta com novas estratégias de ciberataque

No sábado (24), o administrador do grupo anunciou retomada dos negócios ilícitos, reconhecendo que os sites foram bloqueados pelas polícias...
Security Report | Destaques

A queda do LockBit na visão dos CISOs

Ricardo Castro, da Clash, e Paulo Condutta, do Ouribank, acreditam que, apesar de ser importante o fato de autoridades internacionais...